Organizações culturais de Barra Mansa começam a receber auxílio da Lei Aldir Blanc

Foto: Divulgação

As organizações culturais credenciadas na Lei Aldir Blanc começaram a receber a primeira parcela do subsídio, nesta sexta-feira, dia 30, através da Fundação Cultura Barra Mansa.

O município é o primeiro do estado do Rio de Janeiro a pagar o auxílio, segundo a Prefeitura.

Ao todo, Barra Mansa recebeu R$ 1,2 milhão do Governo Federal.

Os pagamentos para os selecionados nos editais setoriais serão feitos a partir da próxima semana.

Ainda estão abertas as inscrições para a concessão de prêmios para cultura afro, calendário cultural, artesanato, mestres de folia de reis e de capoeira. O prazo é até o dia três de novembro.

A forma que o recurso seria utilizado foi definida por cada município. Em Barra Mansa foram divididos em três níveis de pagamento: organizações que receberão no total 12 mil, 18 mil e 30 mil reais. Esses valores serão pagos em três parcelas.

O subsídio se trata de um processo de credenciamento, portanto, não teve nenhuma concorrência. Todas as organizações formais ou informais que cumpriram os requisitos estavam habilitadas. No entanto, como o recurso é finito, foram adotados alguns critérios de priorização.

O presidente da Fundação Cultura Barra Mansa, Marcelo Bravo, destacou o empenho do órgão em fazer Barra Mansa ser a primeira cidade do estado a pagar os artistas com os recursos da Lei Aldir Blanc.

– Para todas as cidades do país têm sido um desafio muito grande operar os recursos da Lei Aldir Blanc, em função da sua emergência e de sua complexidade. Mas especialmente no estado do Rio de Janeiro, os secretários estão se ajudando entre um município e outro. Barra Mansa sendo a primeira cidade do estado a pagar, colabora com os outros municípios a se desenvolverem também. O barra-mansense é privilegiado por ter esse acesso ao recurso antes dos demais. É importante destacar que a atenção que a Fundação de Cultura tem dado para esse processo é equivalente a urgência da liberação desses recursos aos artistas. Por isso, trabalhamos arduamente para conseguir pagar essa primeira parcela – disse Bravo.