PM desaparecido é achado morto, nu e amarrado dentro de carroça no Centro de SP; 4 foram presos por suspeita de homicídio

Corpo do PM Daniel Lima foi encontrado nu embaixo de cobertas dentro de carroça na região da Cracolândia, Centro de São Paulo — Foto: Reprodução/Redes sociais
Foto: Reprodução/Redes sociais

Um policial militar que estava desaparecido desde a última sexta-feira (16) foi encontrado morto, nu e amarrado, com sinais de violência, na manhã de sábado (17), dentro de uma carroça na região da Cracolândia, Centro de São Paulo. A identidade do policial militar Daniel Alves de Lima, de 32 anos, só foi confirmada nesta segunda-feira (19) pelo Instituto Médico Legal (IML) e pelo Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt (IIRGD).

Quatro homens que empurravam a carroça foram presos em flagrante pela Polícia Militar (PM) por suspeita de assassinato. Nos interrogatórios à Polícia Civil, eles disseram que não sabiam que tinha um corpo dentro da carroça. Cordas e uma faca que estavam com o grupo foram apreendidas pela PM.

“Policiais militares de serviço abordaram 4 indivíduos que conduziam uma carroça, na Av. Rudge, Bairro de Campos Elíseos, na Capital. Na abordagem, em verificação ao que transportavam, um corpo foi localizado dentro da carroça. (…) Hoje, 19, no Instituto Médico Legal, o corpo foi identificado como sendo o Soldado da Polícia Militar Daniel Alves de lima, 32 anos”, afirmou uma nota divulgada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP).

2º Distrito Policial (DP), no Bom Retiro, aguarda resultados de exames periciais para saber qual foi a causa da morte e investiga a motivação do crime.

Daniel Lima trabalhava na 1ª Companhia do 18º Batalhão da Polícia Militar, em Presidente Prudente, interior do estado, cidade onde nasceu. Segundo informações e fotos que circulam nas redes sociais de policiais, ele teria um trabalho de evangelização junto a dependentes químicos em São Paulo e estaria evangelizando para moradores de rua, segundo informações preliminares da própria SSP.

Corpo na carroça

Quatro homens são presos por suspeita de participar do assassinato de policial militar que estava desaparecido em São Paulo — Foto: Reprodução/Redes sociais
Foto: Reprodução/Redes sociais

O soldado tinha sido visto pela última vez na Praça da República, também na região central. No final de semana, uma equipe da Polícia Militar encontrou um cadáver sem roupas, não identificado, dentro de uma carroça, que era levada pelos quatro homens sobre o Viaduto Orlando Gurgel, no bairro de Campos Elíseos.

Algumas partes do cadáver estariam esmagadas, segundo policiais. O corpo do PM Daniel Lima estava escondido, debaixo de cobertores, dentro da carroça. O local onde o corpo foi encontrado é próximo a Cracolândia, região conhecida pelo tráfico e consumo de drogas.

O caso foi registrado como homicídio qualificado no 2º DP. A Polícia Civil vai investigar as causas da morte e eventuais responsabilidades pelo assassinato do PM.

Todos os quatro indiciados já tinham passagens anteriores por outros crimes, como furto, roubo e tráfico. Entre os suspeitos estão um cozinheiro de 35 anos, e três desempregados de 37, 32 e 26 anos. Eles foram algemados e levados à delegacia. A reportagem não conseguiu localizar as defesas deles para comentarem o assunto.

Investigação

PM Daniel Lima foi encontrado morto em carroça na região da Cracolândia em São Paulo — Foto: Reprodução/Redes sociais
 Foto: Reprodução/Redes sociais

Após a identificação do corpo, a Polícia Civil quer entender, entre outras coisas, o que o soldado Daniel, que trabalhava na PM em Presidente Prudente, fazia na região da Cracolândia. A investigação também busca saber se os quatro homens que carregavam a carroça participaram do homicídio do PM ou se foram pagos para transportar o corpo.

Segundo a ocorrência, policiais militares estavam patrulhando a região e decidiram abordar os quatro homens que empurravam a carroça para saber o que eles transportavam. Inicialmente, os suspeitos disseram estar levando entulho, mas quando os PMs encontraram um corpo não identificado na carroça, os homens disseram que não sabiam que havia um cadáver lá dentro.

A Polícia Civil procura de câmeras de segurança que possam ter gravado os quatro empurrando a carroça e tentar saber como Daniel foi morto. Há informação de que uma câmera gravou três pessoas empurrando a carroça na Alameda Barão de Piracicaba, por volta das 8h10 de sábado (17). Uma quarta pessoa estava afastada, como se estivesse dando cobertura ao grupo.

Peritos do Instituto de Criminalística (IC) também foram chamados e disseram que o corpo estava despido, com “alguns sinais de violência física, especialmente na região da cabeça, nariz, costas e braço”.

Os “braços, pescoço e pernas encontravam-se amarrados, não descartando a hipótese aventada pela perícia de que a utilização de cordas possa ter se dado com a vítima já sem vida”, informa o registro policial do caso.

As cordas e uma faca que estavam na carroça foram apreendidas pelos policiais que abordaram o grupo. Não há confirmação ainda da causa da morte e nem se a vítima foi esfaqueada. Ainda de acordo com os peritos, “a morte teria ocorrido recentemente”.

Por Kleber Tomaz e Abrahão de Oliveira