MP de SP faz nova denúncia contra nutrólogo com mais 16 ex-pacientes que o acusam de crimes sexuais

O Ministério Público de São Paulo apresentou à Justiça nesta quinta-feira (5) uma nova denúncia por abusos sexuais contra o médico nutrólogo Abib Maldaun Neto, que teve o registro médico cassado após ser acusado por uma série de pacientes.

O MP acusa o médico pelo crime de violação sexual mediante fraude. Na nova denúncia, 16 mulheres – sendo 9 vítimas e 7 testemunhas – relataram abusos cometidos entre os anos de 1997 e 2020 dentro do consultório do nutrólogo, localizado na cidade de São Paulo.

No caso das 7 testemunhas, os crimes referentes a elas já prescreveram e a promotoria optou por colocá-las como testemunhas.

A defesa de Abib Maldaun Neto foi procurada para comentar o assunto, mas ainda não retornou. Ele nega, no entanto, os abusos e diz que provará a inocência dele no processo, que corre em segredo de Justiça.

Durante a investigação, divulgada com exclusividade o MP-SP tentou ouvir Abib Maldaun Neto, mas após ser intimado ele alegou – por meio de sua advogada – problemas de saúde que o impediriam de comparecer presencialmente ao depoimento.

Segundo a Promotoria, foi sugerido que ele participasse da audiência de casa (à distância) por meio de uma plataforma online já usada pelo Tribunal de Justiça, o que também não foi aceito pelo investigado.

Os relatos de abuso se referem a consultas feita por ele desde 1997 até 2020. O médico já foi condenado, em segunda instância, na Justiça de São Paulo, pelo abuso de uma paciente em 2014.

“Isso mostra que apesar da condenação ele continuou agindo da mesma forma”, disse a promotora Maria Fernanda Marques Maia na época das denúncias virem a público.

“As circunstâncias são idênticas. Além da palavra da vítima, temos provas documentais. Não é uma palavra isolada, é um conjunto de provas”, complementou a promotora.

Licença cassada

O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) cassou em 8 de outubro o registro profissional do médico. A GloboNews apurou que a decisão unânime entre sete conselheiros é a primeira etapa do julgamento, que ainda precisa ser submetida a uma segunda confirmação pelo pleno do Cremesp. Também cabe recurso no Conselho Federal de Medicina (CFM).

O médico disse que iria recorrer da decisão do Cremesp. “A defesa irá interpor os recursos competentes, tendo em vista que a decisão foi proferida em absoluta violação às garantias constitucionais e às provas constantes nos autos, em afronta ao devido processo legal e à segurança jurídica”, disse a nota da defesa.

A cassação do registro de Abib Maldaun Neto é referente a um caso de abuso sexual envolvendo uma ex-paciente que tramita no conselho desde 2014.

A fase de instrução – quando as provas são apresentadas e analisadas, além das partes envolvidas ouvidas – foi concluída em abril de 2018. Há dois anos, o processo estava à espera da inclusão na pauta de julgamento do conselho, segundo a defesa da mulher que o denunciou.

Por Isabela Oliveira e Marisa Oliveira