Câmara de SP aprova, em definitivo, reajuste de mais de 46% do salário do prefeito, vice e de secretários

A Câmara de Vereadores de São Paulo aprovou, em segunda e definitiva votação, na tarde desta quarta-feira (23), o aumento de 46,6%, em média, dos salários do prefeito, do vice e dos secretários da capital paulista. Foram 34 votos a favor, 17 contra e 1 abstenção. O projeto agora vai à sanção do prefeito, Bruno Covas (PSDB).

A primeira aprovação havia sido realizada às 12h de segunda-feira (21). O reajuste vale a partir de 2022 e, com isso, sobe o teto do funcionalismo público municipal.

O salário atual do prefeito, que é de R$ 24,175 , passará a cerca de R$ 35.462 – com variação de 46,6%. Já o salário do vice-prefeito terá variação de 47% e dos secretários chega a quase 53% de aumento.

A aprovação recebeu duras críticas de alguns parlamentares, por ter ocorrido na semana de Natal e após um ano de contingenciamento de gastos devido à pandemia de Covid-19.

Em nota, a Câmara de Vereadores informou que o projeto de lei votado trata da correção dos subsídios “do prefeito, vice-prefeito e secretários em patamar abaixo da inflação acumulada no período” dos últimos 8 anos.

“Desde a última correção, em 2012, a inflação acumulada chega a 63,11% pelo IPCA e 100,41% pelo IGP. Importante ressaltar ainda que a correção valerá apenas a partir de janeiro de 2022”, disse a Casa legislativa em nota.

Câmara de SP aprovou nesta quarta (23) reajuste salarial para o prefeito, o vice e os secretários — Foto: Reprodução/TV Globo
Foto: Reprodução

Por Zelda Melo e Guilbert Reino