Ciama de Ilhabela receberá o nome da médica Zilda Arns, fundadora da Pastoral da Criança

O Centro de Incentivo ao Aleitamento Materno (Ciama), que está sendo implantado em Ilhabela, receberá o nome da médica “Zilda Arns Neumann”, fundadora da Pastoral da Criança, projeto mundialmente conhecido e desenvolvido pela Igreja Católica. A prefeita Maria das Graças Ferreira dos Santos Souza, a Gracinha, assinou o decreto número 8323, em 10 de dezembro de 2020, que definiu a homenagem. 

O prédio público que abrigará o Ciama está localizado na Rua Alagoas, número 470, no bairro Barra Velha, e deverá começar a funcionar em 2021. A instalação do Centro é considerada, pela equipe da Secretaria de Saúde do arquipélago, uma iniciativa muito importante.

A prefeita comentou a homenagem. “É uma justa homenagem, pois Zilda Arns dedicou sua existência para defender e salvar vidas de crianças em situação de vulnerabilidade social. Estamos criando o Ciama para ampliar esse trabalho voltado às crianças e suas famílias. O leite materno salva vidas, além de ser o alimento mais importante para o recém-nascido”, destacou Gracinha, uma das fundadoras da Pastoral da Criança de Ilhabela, há três décadas.

Como o nome sugere, o Ciama estimulará o aleitamento materno e na cidade poderá desenvolver, por exemplo, um “Banco de Leite Humano”, como existe na cidade vizinha de São Sebastião, que atende o Hospital Mário Covas de Ilhabela, o Hospital de Clínicas de São Sebastião (HCSS) e a Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal de Caraguatatuba.

O banco de leite da cidade vizinha é mantido por mães que estão amamentando e fazem a doação. Normalmente, as funcionárias da Secretaria de Saúde vão até as casas das interessadas na doação, fornecem orientações e os vidros para o armazenamento do leite, com o devido preenchimento de ficha de cadastro da doadora e informações de exames de rotina realizados no pré-natal, etc.

As doações são encaminhadas principalmente aos bebês prematuros e com baixo peso. O leite doado passa por um processo de pasteurização no “Banco de Leite” para que posteriormente possa ser fornecido com segurança aos recém-nascidos.

O prédio público que abrigará a sede do Ciama em Ilhabela

Zilda Arns

Zilda Arns Neumann, nascida em Forquilhinha, Santa Catarina, no dia 25 de agosto de 1934, foi médica pediatra e sanitarista e fundou, em 1983, a Pastoral da Criança, um programa de ação social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Ela criou seu projeto da Pastoral da Criança em cima de cinco ações básicas de saúde, responsáveis pela redução da mortalidade infantil. Essas cinco ações são a saúde da gestante, o aleitamento materno, a vacinação, o soro caseiro e o controle do peso.

A Pastoral da Criança é um organismo de ação social da CNBB e alicerça sua atuação na organização da comunidade e na capacitação de líderes voluntários do local, que assumem a tarefa de orientar e acompanhar as famílias vizinhas em ações básicas de saúde, educação, nutrição e cidadania. O objetivo é o “desenvolvimento integral das crianças, promovendo, em função delas, também suas famílias e comunidades, sem distinção de raça, cor, profissão, nacionalidade, sexo, credo religioso ou político”, destaca o artigo 2º do Estatuto.

A missão da Pastoral da Criança é promover o desenvolvimento das crianças, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, do ventre materno aos seis anos, por meio de orientações básicas de saúde, nutrição, educação e cidadania, fundamentadas na mística cristã que une fé e vida, contribuindo para que suas famílias e comunidades realizem sua própria transformação.

Em 2006, Zilda recebeu indicação ao Prêmio Nobel da Paz e em 12 de janeiro de 2010 faleceu, aos 75 anos, em Porto Príncipe, no Haiti, em um terremoto de sete graus na escala Richter, que provocou a morte de 300 mil pessoas e ferimentos em milhares.

Zilda morreu fazendo o que mais amava, compartilhando conhecimentos para defender a vida. Estava em uma palestra sobre a Pastoral da Criança na Conferência Nacional dos Religiosos do Caribe e participaria de encontros com representantes de várias ONG’s.

Por Radar Litoral