Condephaat aprova restauração da Casa da Cultura de Lorena

Obra de recuperação e ampliação é orçada em R$ 8 milhões; prédio teve reparos apenas duas vezes em 188 anos

A Casa da Cultura de Lorena, que deve passar por restauração; projeto aprovado pelo Condephaat (Foto: Lucas Barbosa)

Elaborado há mais de um ano e meio, o projeto da Prefeitura de Lorena para restauração e ampliação do Solar Conde de Moreira Lima, a Casa da Cultura, foi aprovado na última segunda-feira (14) pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico). Orçada em R$ 8 milhões, a obra promoverá a recuperação estrutural do prédio, que abriga projetos culturais e turísticos.

Construído em 1832, o imóvel, que fica na região central, foi residência oficial do conde Joaquim José Moreira Lima Junior. O prédio chegou a hospedar grandes nomes da nobreza como o Imperador Dom Pedro 2º e da Princesa Isabel.

Após o falecimento do conde, em 1926, e a publicação de seu testamento, o espaço foi doado à Santa Casa de Misericórdia de Lorena.

Com o passar dos anos, o Solar, que recebeu apenas uma reforma em 1876 e uma ampliação em 1880, teve diversas utilizações como Orfanato Santa Carlota, Ginásio Escolar Arnolfo de Azevedo, Instituto Santa Tereza e o Colégio Sesi.

Devido a seu projeto arquitetônico de estilo neocolonial, o imóvel foi tombado como patrimônio histórico pelo Condephaat em 1975.

Também no início da década de 1970, o prédio passou a ser utilizado pela Prefeitura de Lorena, para sediar a secretaria de Cultura.

Notando o avançado estado de deterioração do prédio, a atual gestão municipal, comandada pelo prefeito Fábio Marcondes (sem partido), iniciou estudos em 2017 para elaborar um projeto de restauração do Solar, capaz de atender as exigências do Condephaat.

Já no fim de maio de 2019, o secretário de Cultura e Turismo, Roberto Bastos, o Totô, apresentou o projeto de recuperação, durante cerimônia realizada no Unifatea (Centro Universitário Teresa d’Ávila). O trabalho técnico foi elaborado através de parceria entre o Município, Fundação Olga de Sá, Santa Casa e da contratação da empresa Arquitetura Plena. Na sequência, o estudo foi encaminhado para a análise do Condephaat.

Quase 19 meses depois, a Prefeitura divulgou na última segunda-feira a aprovação do projeto junto ao órgão estadual. “Hoje, celebramos mais um passo importante para que o sonho do Restauro e da Ampliação do Solar Conde de Moreira Lima seja realizado. Trabalhamos muito nos últimos anos na elaboração do projeto. Estamos na expectativa que as obras sejam iniciadas o mais breve possível”, revelou Totô.

Em relação ao investimento previsto de R$ 8 milhões para a viabilização do restauro, o Executivo revelou que investiu no fim de julho R$ 1,3 milhão na compra do Solar junto à Santa Casa. Já a captação dos demais recursos necessários e o início da reforma, ficará à cargo da gestão do prefeito eleito, Sylvinho Ballerini (PSDB).

Por Lucas Barbosa | Jornal Atos