Seis prefeitos mineiros não tomarão posse na sexta-feira, três são da região

Dos seis, três prefeitos eleitos que até então perderam os cargos são da região do Sul de Minas e Campo das Vertentes

Nivaldo Donizete Muniz (Zetinho), prefeito eleito de Campestre; Elói Radin, prefeito eleito de São Gonçalo do Sapucaí, e Araci Cristina de Carvalho, prefeita eleita de Antônio Carlos

No dia primeiro de janeiro, sexta-feira, os prefeitos eleitos na eleição de 15 de novembro tomarão posse, porém, seis prefeitos já perderam o cargo antes mesmo da posse, dois deles são do Sul de Minas e um do Campo das Vertentes. Em decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Minas, eles tiveram os registros de candidaturas indeferidos por razões semelhantes, ligadas à inelegibilidade.

Os prefeitos do Sul de Minas que foram cassados antes da posse são das cidades de Campestre e São Gonçalo do Sapucaí, no Campo das Vertentes, foi o prefeito da cidade de Antônio Carlos, nestas localidades, assumirão as Cadeiras do Executivo os presidentes das câmaras municipais.

Em Campestre o prefeito eleito Nivaldo Donizete Muniz, o “Zetinho” (PSDB), havia sido eleito com 52,8% dos votos válidos. Em São Gonçalo do Sapucaí, Elói Radin (PSB) se elegeu com 48,48% dos votos válidos. Em Antônio Carlos, no Campo das Vertentes, Araci Cristina Araújo Carvalho (PDT) havia saído vitoriosa nas urnas com 45,41% dos votos válidos.

Além deles, também não assumirão suas cadeiras os prefeitos eleitos de Mariana, na Região Central de Minas, Japaraíba, no Centro-Oeste, e Lamin, na Região Leste do Estado.

A situação assim permanecerá até que seja transitado em julgado o processo ou decisão colegiada do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Se confirmada a decisão da Corte Eleitoral mineira, ocorrerá novas eleições nestas localidades.

Por Jornal de Lavras