Trecho da SP-55 entre Caraguá e São Sebastião com vários registros de atropelamentos tem lombadas eletrônicas retiradas

Com vários registros de atropelamentos no trecho entre os municípios de São Sebastião e Caraguatatuba, a Rodovia Manoel Hyppolito do Rego (SP-55) teve as lombadas eletrônicas retiradas na tarde desta quarta-feira (9/12). A reporatgem registrou as estruturas metálicas sendo levadas por um caminhão e os locais de travessia de pedestres já sem os equipamentos.

Locais como as travessias de pedestres localizadas em frente à Escola Maria José da Penha Frúgoli, na Enseada, e próximo à base da GCM no Canto do Mar, ambas na Costa Norte de São Sebastião.

Em outubro deste ano, mãe e filho morreram atropelados por uma moto na região do Vapapesca, zona sul de Caraguatatuba. Já no dia 1 de dezembro, uma mulher de 41 anos teve fratura na perna e traumatismo craniano após ser atropelada no trecho da Costa Norte de São Sebastião. Ela foi socorrida ao hospital por equipe do Samu.

Em 2016, uma jovem morreu atropelada no mesmo local. Na época, moradores fizeram protesto por melhorias na estrada e mais iluminação. A estrada segue cheia de buracos e agora sem as lombadas eletrônicas.

A falta de manutenção da SP-55, com os inúmeros buracos no trecho São Sebastião-Caraguá já foi tema de diversas reportagens do Radar Litoral. Em uma delas, publicada em outubro de 2018, o Estado informou que realizaria uma operação tapa-buracos.

Os prefeitos de São Sebastião e Caraguatatuba, Felipe Augusto e Aguilar Junior, que foram reeleitos, por diversas vezes fizeram pedidos de recapeamento total da rodovia. Aguilar Junior propôs inclusive a municipalização do trecho da rodovia em Caraguá após ser recapeada pelo Estado.

Nesta tarde de quarta-feira, após registrar a retirada das lombadas eletrônicas, o Radar Litoral voltou a solicitar informações junto à Secretaria Estadual dos Transportes sobre obra de recuperação da rodovia, bem como se os equipamentos de controle de velocidade próximos às travessias de pedestres serão recolocados. A reportagem aguarda o posicionamento do Estado.

Fonte: Radar Litoral