Ator Rodrigo Hallvys faz uma análise de sua carreira durante a pandemia no Sul Fluminense

Ele é de Volta Redonda, mas atrai a atenção de estudantes de teatro de todo o país. Diretor da RH Soluções Artísticas, Rodrigo coleciona, ao longo de sua carreira, diversas conquistas entre as celebridades, o que faz com que muitos jovens e adolescentes, que se espelham em seu trabalho, procurem seus cursos e workshops.

Rodrigo iniciou nas artes cênicas quando tinha 9 anos. Começou como ator, função na qual teve seu primeiro registro profissional.

O tempo foi passando, ele passou a roteirizar e preparar elenco, se profissionalizando na função de diretor com apenas 22 anos de idade. Rodrigo Hallvys é autor dos livros ‘O dia D’, ‘Epitáfio do amor’ e ‘Tatos e digitais’.

Esse último, publicado em 2020, tornou-se assunto em uma revista nos Estados Unidos, a “Wow Magazine”, todos integrantes de uma quadrilogia que será encerrada em 2021 com o livro ‘Nossas vidas’.

Rodrigo também compõe, mas a surpresa para muitos é sua atitude inusitada.

O rapaz tornou-se fã do grupo trio musical “As Sublimes”, no início da década de 90, quando elas lançaram seu primeiro disco, com a música “Boneca de Fogo”.

Ele acompanhou as mudanças nas formações, o lançamento do segundo álbum e a interrupção durante o terceiro.

Prometeu para si mesmo que não deixaria a história do grupo morrer e, anos depois, adquiriu a marca registrada que leva o nome do grupo, reuniu todas as cantoras que já fizeram parte do grupo (Isabel Fillardis, Lilian Valeska, Karla Prietto e Flávia Santana), apoiou um período de apresentações delas e encerrou 2020 produzindo as audições que culminaram na nova formação do trio, que será lançado ainda este ano.


“Sou considerado fora da caixinha. Vi muita coisa mudando a minha volta apenas pela presença das Sublimes na mídia. Elas foram o único grupo brasileiro formado apenas por mulheres negras a conseguir alcançar tal projeção midiática. Vi de perto pessoas se sentindo representadas por elas. Isso é uma questão social e mexeu comigo, sem contar que amo black music cantada por grupos femininos”, ressalta Rodrigo.

Mais detalhes podem ser encontrados no site do ator: www.rodrigohallvys.com.br

Por Emiliano Macedo