Doria critica prefeitos que descumpriram orientações do Plano SP no fim do ano

O Governador de São Paulo, João Doria (PSDB), criticou os prefeitos das cidades paulistas que descumpriram as orientações do Plano São Paulo no fim do ano. Vinte prefeitos decidiram seguir na fase amarela do plano durante os feriados de Natal e Ano Novo, apesar da reclassificação à vermelha indicada pelo Centro de Contingência do Coronavírus.

Sem citar nomes ou cidades, Doria pediu que o descumprimento não mais aconteça nos municípios paulistas. “Alguns poucos prefeitos e prefeitas não agiram como deveriam. Foram poucos, mas nós esperamos que essas exceções não mais aconteçam”, disse. A declaração foi dada durante a abertura Seminário de Gestão Pública para os prefeitos, nesta quarta-feira (6).

“Não é cabível, num estado como São Paulo, termos poucas exceções, menos de 20, de prefeitos e prefeitas, que não seguiram as orientações do governo de protegerem a vida de seus munícipes e/ou dos visitantes de seus municípios, sob qualquer alegação. Não há qualquer alegação maior que a vida”, disse ele.

A mudança para a fase vermelha durante as festas de fim de ano foi anunciada no dia 22 de dezembro pelas autoridades estaduais, após aumento no número de casos e de óbitos pela Covid-19. Um dos objetivos do governo era evitar a propagação do vírus durante o período e reduzir a ocupação dos leitos de Covid-19.

Os nove municípios da Baixada Santista (Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos e São Vicente), no litoral de São Paulo, descumpriram a orientação. Eles anunciaram, no dia seguinte, que iriam manter a região na fase amarela do Plano SP, descumprindo a orientação estadual mais restritiva.

Quatro cidades do litoral norte (São Sebastião, Caraguatatuba, Ubatuba e lhabela) também resolveram não seguir as regras do plano estadual.

Em nota, a Prefeitura de Santos afirma que segue com as restrições do Plano São Paulo de combate à Covid-19. Durante o fim do ano, realizou ações mais restritivas, fiscalizando o uso da máscara, implantando barreiras sanitárias e fazendo bloqueios na orla para o acesso à praia, o que recebeu apoio da população e reduziu a possibilidade de aglomerações e festas. A administração ainda diz vem se preparando com o Plano de Vacinação, de acordo com o determinado pelo Governo do Estado, com a aquisição de insumos e contratação de pessoal para este fim.

G1 também entrou em contato com as demais prefeituras da Baixada Santista, mas até a publicação desta reportagem elas não se posicionaram sobre a declaração do governador.

Notificação

As cidades que descumpriram as medidas foram notificadas e poderão responder judicialmente pelo descumprimento, segundo o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

O secretário disse que uma lista das cidades notificadas foi enviada ao Ministério Público. Segundo ele, das 645 prefeituras paulistas, “mais de 620 delas estão seguindo o plano”. De acordo com o secretário, a previsão é de que, neste mês, haja aumento dos casos de coronavírus após as festas de fim de ano.

Plano Estadual de Imunização

Durante a reunião, nesta quarta-feira, o Governo do Estado também apresentou o cronograma e mais detalhes do Plano Estadual de Imunização (confira abaixo) aos prefeitos. Além disso, o Instituto Butantan deve enviar pedido de registro e liberação para uso emergencial da CoronaVac nesta quinta-feira (7), quando governo pretende divulgar dados da eficácia da vacina.

O secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, informou que a vacinação irá ocorrer de segunda a sexta, das 7h às 22h, e de 7h às 17h aos sábados, domingos e feriados. Produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, a CoronaVac ainda precisa ter a eficácia comprovada antes de ser liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A previsão do governo de São Paulo é a de que os documentos sejam entregues à Anvisa nesta quinta-feira, quando também devem ser divulgados os resultados dos testes feitos no país. Mesmo com os adiamentos na divulgação da eficácia da CoronaVac, o governo mantém a previsão de início da vacinação no dia 25 de janeiro, aniversário de São Paulo.

Plano de imunização do Governo de SP, caso CoronaVac seja aprovada pela Anvisa — Foto: Divulgação/Governo de SP
Foto: Divulgação/Governo de SP