Litoral Norte toma medidas para barrar invasão de turistas com antecipação de feriados na capital

Cidades já estão com praias fechadas devido a fase emergencial; rodízio de veículos e comprovação de teste de covid são algumas das medidas

Barreira sanitária montada no acesso a São Sebastião; prefeitos temem megaferiado paulista (Foto: Reprodução PSS)

Prevendo uma “invasão de turistas” durante o megaferiado criado na capital paulista, iniciado nesta sexta-feira (26), as cidades do Litoral Norte optaram por tomar uma série de medidas preventivas para frear o turismo até o dia 4 de abril. Com 31.140 moradores infectados pela doença, a região litorânea contabiliza 458 mortes.

O anúncio do megaferiado, com a antecipação de datas comemorativas, foi feito no último dia 18, durante uma coletiva de imprensa, pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB). O objetivo é aumentar a taxa de isolamento social na cidade para conter o avanço da pandemia. A decisão foi criticada pelo governador do Estado, João Doria (PSDB), já que a medida gerou um mal-estar com os prefeitos do Litoral Sul e Norte. “As prefeituras têm autonomia para suas decisões, e nós reconhecemos isso. Mas há certas decisões que o bom senso recomenda que sejam compartilhadas previamente com o governo dado ao fato de que a decisão de uma cidade muitas vezes implica em impacto nas cidades vizinhas. Faltou aí um pouco de bom senso da Prefeitura de São Paulo em fazer esse compartilhamento prévio para evitar exatamente o mal-estar que acabou provocando”, frisou Doria.

Mesmo com o uso de praias proibido, a solução encontrada para os quatro municípios, que aderiram ao decreto da fase emergencial do Plano SP, foi criar medidas mais restritivas para coibir a entrada de turistas nas cidades.

São Sebastião criou barreiras sanitárias na cidade com aplicação de testes para a Covid-19. Os turistas são parados e testados com o modelo sorológico (teste rápido de sangue). As praias continuarão fechadas e sendo fiscalizadas pela guarda municipal já que no último final de semana a Prefeitura flagrou cerca de 190 turistas na faixa de areia.

Em Ilhabela, um novo decreto foi publicado no dia 23. Os turistas terão que apresentar teste negativo de Covid-19 para poder permanecer na cidade durante o feriado prolongado. O teste deverá ser feito com no máximo 48 horas de antecedência do embarque para a ilha.

Em Caraguatatuba, o prefeito José Pereira de Aguilar Junior (MDB) expediu um ofício ao governo estadual pedindo restrições nas rodovias que dão acesso ao Litoral Norte. A fiscalização tem sido realizada pela Polícia Militar, e está proibido o estacionamento de carros na orla das praias.

A Prefeitura de Ubatuba adotou um rodízio de veículos no megaferiado. Em dias ímpares ficará permitida apenas a circulação de veículos com placas de final ímpar, e nos dias pares apenas a circulação de carros com placa final par. O descumprimento da lei pode acarretar uma multa no valor de R$ 500, e a fiscalização e aplicação da penalidade será responsabilidade da Guarda Civil. Veículos com placas do município, das outras três cidades do Litoral Norte, transporte coletivo, abastecimento, serviços (ambulância, polícia, bombeiro, entre outros), órgão de imprensa são exceções.

Dados – De acordo com os boletins epidemiológicos divulgados pelas secretarias de Saúde do Litoral Norte no fim da tarde desta quinta-feira, a região contabiliza 31.140 contaminados e 458 vítimas fatais da doença.

Com 12.808 infectados e 254 óbitos, Caraguatatuba enfrenta a situação mais preocupante da região. Segunda cidade com mais casos, São Sebastião registra 7.057 contaminados e 92 mortos. Já Ubatuba, contabiliza 5.759 infectados, sendo 80 óbitos. Município litorâneo com menos óbitos, que chegam apenas a 32 registros, Ilhabela possui 5.516 moradores diagnosticados com a Covid-19.

Por Thales Siqueira | Jornal Atos