Dr. Jairinho diz em depoimento que acusações de ex-namorada foram por vingança

Uma das ex-namoradas do vereador contou a polícia que Jairinho dava cascudos e torcia os braços de sua filha, na ocasião com 3 anos. Horas após ser preso, o político negou as acusações.

O vereador Dr. Jairinho contou ao delegado Adriano Marcelo Firmo França, titular da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), que as acusações feitas por uma de suas ex-namoradas foram motivadas por vingança.

A ex-parceira do vereador disse, em depoimento, que Jairinho dava mocas (cascudos na cabeça) e torcia as pernas e os braços de sua filha, na época com 3 anos. A ex-namorada contou que, em certa ocasião, Jairinho afundou a cabeça da menina em uma piscina.

Horas após ser preso pela morte do menino Henry Borel, Jairinho negou as acusações e disse que depois do término do relacionamento, a ex-namorada passou a enviar mensagens para a atual mulher dele e para a ex-esposa, mãe de seu primeiro filho.

Segundo Jairinho disse ao delegado, a intenção das mensagens seria “gerar instabilidade em seu casamento”.

O vereador explicou ainda que o relacionamento com essa ex-namorada durou cerca de dois anos e tinha a finalidade “sexual”. Durante o namoro, Jairinho era casado com a dentista Ana Carolina Ferreira Netto, mãe de dois dos seus três filhos. Ele disse também que a mulher insistia para que ele se separasse da esposa.

Mais acusações

Durante o depoimento, Jairinho precisou responder sobre uma série de outras acusações feitas por essa ex-namorada.

Ela contou que o vereador, que é médico, mas nunca exerceu a profissão, dava remédio para ela dormir.

Segundo a mulher, durante uma viagem a Mangaratiba, no Rio, a ex-namorada desconfiou que Jairinho estava lhe dando medicação para que, quando ela estivesse dormindo, ele pudesse falar com outra mulher.

Prisão do vereador Dr Jairinho no Rio de Janeiro, na manhã desta quinta-feira (8). — Foto: FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Foto: FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Ela não usou o remédio, fingiu dormir e disse ter flagrado o vereador segurando a filha dela pelos braços. Apesar de não ver nada agressivo, a mulher afirmou à polícia que a filha estava assustada.

Em outro episódio, a ex-namorada contou para a polícia que Jairinho chegou a rasgar a roupa dela na rua ao vê-la chegando em casa depois de uma balada.

Disse também que quando ele estava só com a filha dela, dizia para menina: “Você atrapalha a vida da sua mãe!”, “A vida da sua mãe ia ser mais fácil sem você!”.

Jairinho nega as acusações

Dr Jairinho negou todas as acusações. Ele disse que não teve mais do que 10 vezes junto com a filha da ex-namorada durante o período que durou o relacionamento do casal.

Segundo ele, a criança quase sempre ficava com a avó materna quando os dois se encontravam. Jairinho afirmou ao delegado que “nunca teve qualquer atitude abrupta ou agressiva” com a menina.

O vereador chegou a admitir que frequentou com a ex-namorada uma casa em Mangaratiba e que o local tinha piscina e sauna, segundo o depoimento. Contudo, Jairinho disse que não lembrava se a filha da ex-namorada esteve presente na casa nesses dias.

Preso por suspeita de ter matado o enteado de quatro anos, Jairinho também negou que tenha ficado sozinho com a filha da ex-namorada.