Menina espancada até a morte em Porto Real foi alimentada com comida estragada

A menina Ketelen Vitória Oliveira da Rocha, de 6 anos, que morreu no último sábado (dia 24), após ser espancada pela mãe e a madrasta, em Porto Real, chegou a ser alimentada com comida estragada, pão mofado e café, de acordo com trechos da investigação obtidos pelo Jornal O Globo.

Segundo as investigações da delegacia de Porto Real, a mãe da criança, Gilmara Oliveira de Farias, de 27 anos, e a madrasta, Brena Luane Barbosa Nunes, de 25 anos, Ketelen chegou a apanhar por ter derrubado uma caixa de leite que bebeu “desesperada de fome”.

O fato foi relatado, em depoimento, pela mãe de Brena, Rosângela Nunes, que também morava com a criança e foi indiciada por se omitir diante da série de agressões.

Ainda de acordo com as investigações, a mãe e a madrasta da menina chegaram a trocar acusações a respeito de quem agredia mais a criança. Brena afirmou ter agido de forma agressiva a mando de Gilmara. Na última quinta-feira (dia 22), as duas tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça. Na sexta-feira (dia 23), elas foram transferidas da Cadeia Pública de Volta Redonda para um presídio em Bangu, Zona Oeste do Rio.