Secretário de Saúde de Itatiaia é preso em operação contra fraude na compra de EPIs anti-Covid

Ex-secretário de Planejamento também foi preso em um condomínio de luxo na Zona Oeste do Rio. Operação prendeu outras três pessoas. Segundo as investigações, notas fiscais foram emitidas sem que os equipamentos de proteção tenham sido entregues.

O secretário de Saúde de Itatiaia, Marcos Vinícius Gomes, e outras quatro pessoas foram presas, na manhã desta quinta-feira (29), em uma operação da Polícia Civil do RJ e do Gaeco do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ).

A força-tarefa apura fraudes, na Prefeitura de Itatiaia, na aquisição de equipamentos de proteção individual (EPIs) para uso hospitalar — usados na pandemia de Covid.

Agentes saíram para cumprir cinco mandados de prisão e 17 de busca em apreensão no Rio, em Itatiaia e em Barra Mansa.

Secretário de Saúde de Itatiaia foi preso em casa na manhã desta quinta-feira (29) — Foto: Reprodução / TV Globo
Foto: Reprodução

Marcelo de Oliveira Pinheiro, ex-secretário de Planejamento de Itatiaia, também foi preso em um condomínio de luxo no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. A operação foi batizada de Apanthropía.

Segundo as investigações, em um contrato emergencial, a Secretaria de Saúde de Itatiaia atestou notas fiscais sem que os EPIs fossem entregues.

A secretaria teria feito uma compra sem licitação no valor de R$ 3 milhões, dos quais R$ 1 milhão chegou a ser pago por equipamentos como luvas, toucas e aventais.

Marcelo de Oliveira Pinheiro, ex-secretário de Planejamento de Itatiaia, foi preso em um condomínio de luxo no Recreio dos Bandeirantes — Foto: Reprodução/ TV Globo
Foto: Reprodução

Segundo investigações do Ministério Público, Marcos e Marcelo tinham uma ligação muito próxima com os sócios da empresa contratada e agiam de forma organizada.

Ainda de acordo com a denúncia, o secretário de Planejamento chegou a ser passar por policial para constranger servidores públicos para que eles entregassem notas fiscais da prefeitura mesmo sem os produtos terem sido entregues.

A força-tarefa encontrou evidências de estelionato, extorsão e falsidade ideológica. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal Especializada da Capital.

Agentes cumprem cinco mandados de prisão e 17 de busca em apreensão em operação contra fraude em compra de EPIs em Itatiaia — Foto: Reprodução / TV Globo
Foto: Reprodução

Como funcionava o esquema

Duas empresas “concorriam” entre si na busca por contratos para fornecimento de EPIs. De acordo com o MPRJ, os suspeitos se aproveitaram do menor rigor administrativo ocasionado pelo enfrentamento da pandemia para obter lucros de ambas as firmas, que não possuem funcionários, sedes ou patrimônio relevantes para o exercício das atividades a que se propunham.

Apenas de contratos identificados entre as duas firmas e diversos entes públicos do Estado do Rio de Janeiro, o Gaeco/MPRJ apurou um total de R$ 7 milhões, mesmo se tratando de empresas de fachada, que não possuíam estrutura mínima para honrar os contratos celebrados.

Ex-secretário de Planejamento de Itatiaia mora em um condomínio de luxo no Recreio dos Bandeirantes — Foto: Reprodução / TV Globo
Foto: Reprodução