Passageiros reclamam de más condições dos ônibus de Porto Real a Barra Mansa, RJ

A tarifa dos ônibus intermunicipais aumentou R$0,60 no final de semana e já causou transtornos em moradores que dependem do transporte público intermunicipal diariamente.

Além do aumento abusivo, usuários reclamam das más condições dos ônibus da Viação Falcão – que compõem a frota de Porto Real e Quatis. Além da precariedade dos coletivos, moradores disseram que não foram avisados previamente sobre o aumento da passagem.

O autônomo Adriano Costa Francisco, de 40 anos, foi pego de surpresa com os novos valores – a tarifa saltou de R$ 5,40 para R$ 6,05. Morador de Porto Real, ele utiliza o transporte público todos os dias e afirmou que nenhum cartaz foi colado nos veículos antecipadamente.

“Da minha casa até a Praça de Floriano eu pago R$ 2,30; o que já é um absurdo. E de Floriano para Barra Mansa é outro assalto para uma viagem de 15 a 20 minutos. É um transporte totalmente sem estrutura e não tem horário certo para que possamos nos programar”, afirmou.

Adriano disse que entre a casa dele e a Praça de Floriano são apenas dez minutos a pé, mas em dias chuvosos precisa ir de ônibus. Quando chega a Barra Mansa, ele precisa pegar mais um coletivo para Volta Redonda, ou seja, mais R$ 4,45. Além do impacto financeiro, Adriano argumento que não há condições desse aumento, visto que os ônibus da Viação Falcão não oferecem nenhum conforto aos usuários.

“Tem um ônibus que está com vazamento no teto, chove mais dentro do que fora. É um absurdo! E o fato de não terem avisado é ainda pior. Fui embora pagando um valor e no outro dia já era outro. Como assim?”, questionou.

O morador disse que conversou com motoristas que revelaram que há outros veículos em más condições circulando. “Já vi até barata, ou seja, eles não lavam os ônibus.

Como cobram R$ 6 em 20 minutos de viagem? Outra coisa que, para mim é miliciana, é que a empresa colocou uma catraca para controle interno que atrasa ainda mais”, contou.

Segundo Adriano, o ônibus demora de 15 a 25 minutos para sair do ponto, já que o cobrador precisa validar o cartão de cada passageiro. “Isso deve ser ótimo para a empresa, mas atrasa nossa vida”, acrescentou.

HORÁRIO

Quem também reclamou das condições precárias da frota foi a recepcionista Valéria Mendonça, de 36 anos. Ela mora em Barra Mansa, mas tem familiares no distrito de Floriano. “Aos finais de semana, quando preciso de ônibus para ver minha mãe, é sempre um transtorno porque nunca sabemos o horário certo. Vou para a rodoviária contando com a sorte”, revelou. Segundo ela, os horários que ficam disponíveis em cartazes na rodoviária não são cumpridos. Adriano completou que o site da empresa também está desatualizado há mais de quatro anos.

TARIFA

O aumento da tarifa foi autorizado pelo Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) e publicado no Diário Oficial. Em nota divulgada na semana passada, o departamento informou que o aviso sobre o valor deveria ser afixado pelas empresas, nos ônibus, guichês e pontos de vendas de passagens.

Ontem, a reportagem contatou o Detro acerca das reclamações. Foi informado que, diante das queixas sobre a Viação Falcão, será realizada uma fiscalização para verificar as condições dos serviços prestados pela empresa na região e, caso seja constatada alguma irregularidade, serão aplicadas as sanções cabíveis.

Além das operações de inteligência, o Detro lembrou que as denúncias feitas pela população também são utilizadas para direcionar as ações e que este ano ainda não foram registradas na Ouvidoria reclamações referentes à Viação Falcão.

Em casos de irregularidades, usuários devem entrar em contato com o departamento e informar o número da linha do ônibus intermunicipal que cometeu a infração. O telefone é (21) 3883-4141 ou pelo WhatsApp Fale Detro: (21) 98596-8545.

A Viação Falcão foi procurada e a informação dada à equipe de reportagem, via telefone, foi a de que não tinha nenhum responsável para falar sobre o assunto.

 

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.