Mulheres de policiais não têm prazo para encerrar manifestação em Volta Redonda, RJ

Se depender da vontade da maioria dos familiares de policiais e bombeiros acampados desde a noite de quinta-feira (09), em frente ao 28º Batalhão de Polícia Militar de Volta Redonda, eles continuarão o protesto por tempo indeterminado ou até que todas as reivindicações que estão exigindo sejam cumpridas.

De acordo com uma manifestante e mulher de bombeiro, que não quis se identificar, não há data estipulada para encerrar o protesto.

Elas querem que o Estado pague os salários atrasados, incluindo o 13º e as férias para acabar com a manifestação. Um banheiro químico foi colocado no local.

– Aqui neste protesto não tem somente mulheres de PMs, mas também mulheres de bombeiros, Desipe (Departamento Sistema Penal) e de policiais civis, seja aposentados ou na ativa. Nem o 13º salário, parcelado, nossos maridos receberam. Eles também estão trabalhando com armas e viaturas sem manutenção, o que torna o trabalho deles mais arriscado – lamenta a manifestante.

Segundo outra mulher de policial, os seus filhos estão sem estudar porque ela não tem como pagar a matrícula. Também têm mulheres de PMs que afirmam que estão com a conta de luz e o pagamento do aluguel atrasados.

– O próprio batalhão está racionando comida, queremos frisar que, por enquanto, estamos protestando pacificamente e não pretendemos interferir na entrada e saída a pé dos policiais, mas caso entre alguma viatura, não a deixaremos sair mais – ressaltou a mulher de um policial, que também não se identificou.

Foto: Paulo Dimas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.