Trio suspeito de roubo de carros é preso em Barra Mansa, RJ

 

Três jovens acusados de roubarem carros em cidades do Sul do Rio de Janeiro foram presos na terça-feira (28) em Barra Mansa. De acordo com a Polícia Civil, eles faziam parte de uma quadrilha especializada neste tipo de crime.

Dois dos envolvidos são irmãos. Marcos Antônio de Santana Júnior, de 19 anos, e João Vitor Ribeiro de Santana, de 18, foram presos em casa.

Contra cada um deles existia três mandados de prisão preventiva. Segundo a polícia, eles são suspeitos de participar de três roubos de veículos só este ano.

Com os jovens foi encontrada uma espingarda calibre 18 e munições. De acordo com a polícia, as vítimas reconheceram os suspeitos na delegacia.

“Nós conseguimos as fotos dos mesmos e, mostrando essas fotos às vítimas, as vítimas reconheceram e eles foram identificados, denunciados e tiveram a prisão preventiva decretada em três casos de roubo. Então, cada um dos irmãos, tem três processos de roubo e três prisões preventivas que foram cumpridas ontem”, explicou o delegado Ronaldo Aparecido Brito.

Além dos irmãos, a polícia prendeu pela manhã um terceiro suspeito, identificado como Lucas Alves da Costa, de 18 anos. O delegado disse que ele fazia parte de outra quadrilha também especializada em roubos de veículos. Contra o jovem também havia um mandado de prisão preventiva.

Segundo a polícia, só este ano foram 15 roubos de veículos. O número é mais que o dobro do registrado durante todo o ano de 2016. Os investigadores acreditam que, com essas prisões, esse tipo de crime diminua na região.

“Com essas investigações, nós chegamos a dois núcleos. Ao núcleo dos dois irmãos, que é o João e o Marcos. E a um outro núcleo, que era composto pelo Lucas e por outros dois menores. Eles estavam praticando esses roubos em Barra Mansa. A quadrilha do Lucas levava esses carros pra Angra. Inclusive, num desses episódios, um dos menores foi assassinado lá no bairro Bracuhy, por conta de facções criminosas rivais”, disse o delegado.

A polícia acredita que outras vítimas ainda possam procurar a delegacia para tentar identificar os suspeitos.

 

Fotos: Reprodução

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.