CRAS de São Lourenço, MG passa por reformulação para atender a comunidade

São Lourenço conta hoje com duas sedes do CRAS (Centro de Referência e Apoio Social) uma localizada na Rua Clóvis Reis, no bairro São Lourenço Velho, e o CRAS II situado na Avenida Getúlio Vargas, no bairro Vila Carneiro, que está sendo transferido para o bairro Estação.

A nova sede do CRAS será no bairro da Estação, ao lado da Creche Santa Marcelina, para onde os atendimentos serão redirecionados a partir da próxima semana. De acordo com a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Fabíola Reno, nenhum bairro ficará sem atendimento, vai ocorrer uma redistribuição de forma organizada.

“Estamos adequando os locais para atender melhor a comunidade. Nosso trabalho consiste em receber todos os cidadãos dentro das normas propostas, e o esforço da equipe é diário para que tudo funcione corretamente”, destacou.

A Secretaria de Desenvolvimento Social fez um diagnóstico das áreas de maior vulnerabilidade social, através dos relatórios gerados pelo programa CADÙNICO e Bolsa Família, e realizou uma busca incessante para encontrar um imóvel que estivesse dentro dos padrões físicos exigidos, e que estivesse localizado nestas áreas. De acordo com este

levantamento, foi constatado, por exemplo, que na Unidade do bairro Vila Carneiro, estão cadastradas cerca de 640 famílias, enquanto que o bairro Nossa Senhora de Lourdes, possui 996.

 

Uma das exigências fundamentais para a readaptação do local foi a acessibilidade. Os espaços físicos devem atender às normas da ABNT28, já que o atendimento também se destina a idosos, pessoas com deficiência e gestantes e mães com carrinho de bebê.

Em particular devem possuir: acesso principal adaptado com rampas, com rota acessível desde a calçada até a recepção do CRAS; rota acessível aos principais espaços do CRAS (recepção, sala de atendimentos, sala de uso coletivo e banheiros); banheiro adaptado para pessoas com deficiência. Segundo o Decreto 5.296 (de 2 de dezembro de 2004) que

regulamenta as leis federais 10.048 e 10.098 (de 08 de novembro 2000 e 19 de dezembro de 2004), o município deve obrigatoriamente prever os meios de acessibilidade para pessoas idosas e com deficiência.

Os grupos de idosos e gestantes, atendidos pelo CRAS da Vila Carneiro estavam correndo risco de se acidentarem devido à falta de acessibilidade.

 

São Lourenço ainda possui um diferencial muito importante no que diz respeito às unidades do CRAS. Isso porque, de acordo com a descrição do governo federal, a cidade é considerada de pequeno porte, e por isso, deve contar com apenas uma unidade do CRAS financiada pelo governo.

Contudo, para atender melhor a demanda local, a prefeitura conta com outra unidade, financiada por recursos próprios. “Pensando na grande demanda que temos, uma unidade apenas não é suficiente, por isso, contamos com duas sedes. Contudo, precisamos constantemente diagnosticar quais as localidades apresentam maior demanda de apoio”, completou a secretária.

 

Nas duas unidades são ofertados os seguintes serviços: PAIF (Programa de Atendimento Integral à Família), Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, programa de acompanhamento a gestantes, atendimentos individuais, busca ativa das famílias em descumprimento com as condicionalidades do Programa Bolsa Família, BPC (benefício de prestação continuada) e encaminhamentos às outras políticas intersetoriais e à rede socioassistencial. As equipes do CRAS são formadas por psicólogos, assistentes sociais e coordenador. O atendimento acontece de segunda a sexta-feira das 8h às 17h.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fonte/Fotos: Assessoria de Imprensa – PMSL

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.