Nissan de Resende, RJ lança Kicks feito no Brasil e inicia segundo turno de produção

A Nissan lançou, nesta quarta-feira (05) o Kicks feito na fábrica de Resende. A produção local implicou a implantação do segundo turno de produção na fábrica, com a contratação de seiscentos empregados diretos.

A maioria das admissões já foram feitas, mas algumas ainda estão em andamento. Após essas contratações, o Complexo Industrial da Nissan passou a contar com uma equipe de 2.400 pessoas.

Inaugurada há três anos, com investimentos totais de R$ 2,6 bilhões, a fábrica produz, além do Nissan Kicks, os modelos compactos March e Versa e os motores 1.0 12V de 3 cilindros e o 1.6 16V de 4 cilindros.

Os cerca de vinte mil Nissan Kicks vendidos até o momento no Brasil vinham da fábrica do México. Agora, além de atenderem à demanda nacional, os carros serão exportados para outros países da América Latina.

Há planos de vender o veículo em 80 países, com produção em diversas fábricas. O modelo é o mais vendido pela marca no Brasil, no momento.

O período de venda dos modelos fabricados no México trouxe uma dificuldade para a empresa. É que a demanda superou a cota de importações e faltaram veículos no mercado.

A ampliação da quantidade de versões, a introdução de novos itens de série e mais equipamentos inéditos para o segmento, além de mais opções de cores em dois tons.

O crossover compacto passa a ter uma linha completa, com preços começando em R$ 70.500 e chegando até R$ 105 mil. Entre os equipamentos introduzidos pelo Nissan Kicks brasileiro estão os inéditos – para o segmento – alerta de colisão e assistente inteligente de frenagem, itens opcionais para a versão topo de linha SL.

O crossover compacto também traz para os consumidores o avançado sistema multimídia “Nissan Multi-App”, um verdadeiro tablet no painel.

Os novos itens juntam-se à lista de equipamentos diferenciados que o carro trouxe para os brasileiros no ano passado, quando foi lançado mundialmente no Brasil durante os Jogos Rio 2016. Entre eles, a Visão 360º com Sistema Inteligente de Câmeras, o Monitoramento Inteligente de Pontos Cegos (Moving Object Detection), o Controle Inteligente de Chassi (Chassi Control), que reúne o Controle Inteligente em Curvas (Active Trace Control), o Estabilizador Inteligente de Carroceria (Active Ride Control) e o Controle Inteligente de Freio Motor (Active Engine Brake), que atuam na suspensão, freios e também na estabilidade.

Com o Kicks fabricado no Brasil, a Nissan passa a atuar também em novos segmentos do mercado, como taxistas e pessoas com deficiência (PcD).

Mudanças na fábrica

A produção do Nissan Kicks no Complexo Industrial da Nissan em Resende é parte dos investimentos que a companhia vem fazendo no Brasil para aumentar a sua presença no país. Para fabricar o modelo em solo nacional, a Nissan investiu R$ 750 milhões.

O Complexo Industrial de Resende recebeu mais de 150 novos equipamentos. Além disso, ganhou novas áreas na Linha de Produção e na Inspeção de Qualidade. Tudo para atender especificamente ao crossover.

Os novos equipamentos permitem desde uma montagem precisa e segura da tampa do porta-malas até a pintura do teto “flutuante” nas versões “2-Tone” e a calibração de sistemas de tecnologia avançada como a Visão 360º.

Com capacidade para produzir até 200 mil veículos e 200 mil motores por ano, o Complexo Industrial de Resende é fundamental para os objetivos de crescimento com foco na qualidade da Nissan no Brasil. Trata-se de uma das mais modernas e sustentáveis fábricas da empresa no mundo.

Para fazer os trabalhos que exigem mais precisão ou poderiam acarretar risco na segurança ou na ergonomia dos funcionários, por exemplo, a linha de produção conta com um total de 90 robôs. Assim, é assegurado o bem-estar do operador e a qualidade das operações.

Na maioria das áreas, o transporte dos automóveis durante o processo produtivo é realizado por AGVs (Automatic Guided Vehicles), pequenos robôs autoguiados que conduzem carrinhos de peças e plataformas. Eles eliminam a necessidade de transportadores ou plataformas acionadas por correntes, deixando a operação mais segura e silenciosa.

Cada veículo que segue para a linha de montagem possui um kit de peças próprio colocado em um carrinho específico.

Com isso, não há equipamentos parados com peças ao lado da linha de montagem e fica praticamente impossível o operador colocar uma peça errada no veículo, já que ele não tem diferentes opções disponíveis à sua frente.

Assim, sua atenção fica toda voltada em montar o carro e verificar a qualidade do processo, não tendo a preocupação de qual peça montar.

Os carrinhos com cada kit exclusivo de peças são montados em uma área própria por funcionários responsáveis apenas por esta operação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.