A REALIDADE COMO ELA É!…: É justo “matar” para depois perguntar “quem é?”…

“A forma mais justa de se opinar sobre um julgamento é se colocando no lugar do acusado; o resto é sadismo (Luís Carlos Valois – Juiz de Execução Penal)”

 

Arvelos Vieira – DIA 12 DE DEZEMBRO DE 2007, Lúcio Flávio Brito, ex-prefeito da mineira Virgínia, se matou para provar sua inocência. Foi encontrado enforcado numa árvore com um bilhete pregado no peito – “Eu não roubei, amo minha família. Perdoem-me!”. Ele estava sendo inquerido pela Promotoria Pública, sobre possível malversação do erário público no período de 1983 a 1988, quando fora prefeito de Virgínia. Seu erro?… Ter transferido um montante de dinheiro da Secretaria da Educação para a Saúde visando atender o suplício dos necessitados, numa época que não havia tanta pressão a respeito, pois não existia Tribunais de Contas e o Ministério Público era quase inexpressivo.

NO ANO DE 2012, na cidade de São Lourenço, também no Sul das Gerais, um cidadão probo, prestante e cônscio das suas responsabilidades, foi preso no centro da cidade acusado de ter molestado um menino da APAE, denúncia feita pelo próprio garoto com 17 anos, dizendo que o fato se deu quando ele tinha 15 anos. Seu azar?… O menino ser filho de um Juiz de Direito de sentenças imprevisíveis. Ele foi preso sem saber o motivo e sem direito a “sursis”, mesmo reunindo todos os requisitos para tal. A policia encerrou o inquérito e, em apenas 6 meses de total movimentação, (De “zero” a “100”) ele foi julgado e condenado a 16 anos de cadeia.

A família buscou FORA DA CIDADE um advogado “SACO ROXO” e o processo foi revisto e ANULADO na SEGUNDA INSTÂNCIA, pois só tinha “merda”, deixando a Justiça de São Lourenço com cara de “pastel” e certamente constrangida por ser afoita e corporativista. Depois de ter amargado 1,9 ano na prisão e provada à inocência do, acusado até hoje ele não se recuperou do trauma sofrido, tendo sido mais uma vitima impiedosa da covardia da Justiça e da imprensa que caiu de pau sobre ele como ave de rapina.

Os dois lamentáveis episódios acima que destruíram as vidas de homens de bem e, principalmente, de seus familiares, não vejo muito diferente do que pode estar ocorrendo com NELSON RIBEIRO MENDES (foto no hospital), vice-prefeito da cidade de São José do Barreiro e atualmente internado na Santa Casa de Cruzeiro, com a saúde debilitada (pressão alta e problemas cardíacos!).

Por determinação judicial, foi decretada sua prisão e hoje se encontra plantado 24 horas/dia, um policial militar na porta do seu quarto, esperando sua alta hospitalar para ele ser encaminhado à prisão. Ribeiro é acusado de ter estuprado uma garota de 13 anos de idade.

NO MEU ENTENDER, ATÉ QUE SE PROVE O CONTRÁRIO, NELSON RIBEIRO MENDES!…

Trata-se de pessoa das mais conhecidas em São José do Barreiro e região, tendo sido por 18 anos vereador e prefeito por 2 mandatos da sua cidade. Cidadão prestante, líder religioso, sempre foi visto como uma pessoa íntegra, generosa, proba, excelente esposo, pai e avô, com hábitos contumazes de ajudar as pessoas carentes. Como profissional dedicou-se a área do ensino tendo sido Secretário e Diretor da Escola “Cônego Benedito Gomes França”, onde se aposentou depois de uma profícua carreira de bons e relevantes serviços prestados. Tornou-se empresário do ramo de hotelaria, possuindo hoje a Pousada Estância Real em sua cidade, uma das mais populares. Aos 76 anos de idade, Nelson Ribeiro Mendes se encontra de volta à politica, ocupando o cargo de vice-prefeito, ao lado do prefeito eleito Alexandre Siqueira Braga, o “Lê Braga”.

– DEPOIS de uma vida inteira de transparência, muitas vitórias políticas, o que demonstra o reconhecimento da população a sua pessoa, será que É TUDO ISSO a denúncia que paira sobre Nelson Ribeiro Mendes?…

– ESSE EXCESSIVO RIGOR CONTRA ELE, seria justo, logico e necessário, em se tratando de NENHUM marginal ou elemento de alta periculosidade?…

Deixo claro que na condição de jornalista, não estou CONTRA e nem a FAVOR do indiciado e muito menos tenho procuração dele ou da família para falar em seu nome, estou apenas intrigado com a pressa e o desnecessário desejo mórbido de “APEDREJÁ-LO EM PRAÇA PÚBLICA” como se ele fosse um “CÃO DANADO” e, observando alguns detalhes do que pude ler e ouvir até o presente momento sobre esse lamentável episódio, tiro algumas conclusões:

– NO INQUÉRITO POLICIAL consta que o indiciado teria esfregado seu pênis nas costas de uma das meninas, estando ele sentado na escada da piscina. Ora, como pode um homem com uma barriga avantajada como a dele conseguir tamanha proeza?… Talvez o “Kid Bengala!” Quem é obeso sabe da dificuldade de muitas vezes localizar o “dito cujo”, ainda mais sentado.

– DUAS MENINAS, de 11 e 13 anos, “disseram” que foram molestas, não havendo nenhuma outra testemunha até o presente momento. Trata da PALAVRA DELAS, contra a de QUEM sequer foi ouvido ainda. Não duvido, mas quem garante que seja exatamente do jeito que elas falaram?…

– DIZ A DELEGADA SECCIONAL de Cruzeiro que acompanha o caso, que foram ouvidos os secretários, diretores, os funcionários, os familiares.., Espera lá!… O que essa turma toda (sic!) tinha para falar, se ninguém FOI TESTEMUNHA DE PORCARIA ALGUMA, senão OUVINTES do depoimento narrado pelas meninas, ou seja; continuando APENAS A PALAVRA DELAS CONTRA A DO ACUSADO? E mais; se havia alguém presente ao fato, esse foi o tio de uma das denunciantes, que afirmou em depoimento que durante todo o tempo que esteve ao lado delas, não presenciou absolutamente nada de anormal e que se ausentou no máximo uns oito minutos para levar sua esposa e filha do outro lado da rua. Seria esse o tempo suficiente para que o Ribeiro pudesse praticar algo que o “excitasse”, como eu disse não permitido pelo volume de sua barriga e pela sua idade avançada? E mais; a Pousada é totalmente aberta podendo ser vista e acessada a qualquer momento por qualquer pessoa, outro fator que deveria ser levado em consideração.

– HÁ COMENTÁRIOS de que tão logo a Promotoria Pública devolveu o caso ao delegado de polícia de São José do Barreiro, Eduardo Sardinha, para que procedesse a investigação, ele teria acionado a TV VANGUARDA, o que, “se fez”, certamente foi com intenção de “promoção narcisista”, por estar diante de um caso de grande repercussão. “Se de fato”, bom lembrar que, como delegado, NÃO É DA SUA COMPETÊNCIA DAR PUBLICIDADE aos inquéritos que preside, mas então somente investigá-los.

– CONSTA NOS AUTOS, a denúncia de próprio punho feito por uma das meninas, porém com uma redação perfeccionista, digna de provocar inveja aos mais tarimbados escribas, percebendo claramente que se trata de uma fina redação, cuidadosamente orientada por alguém que entrou de alma com profundo desejo de fazer acontecer Como saber?… Poderia ser levado em consideração esse pormenor, visto que a vítima seria incapaz de redação tão incisiva e pormenorizada.

– DIZ A POLÍCIA que o Sr. Nelson recebeu voz de prisão (mas que ainda não tomou conhecimento oficial por não estar em condições de saúde para assinar a ordem propriamente dita!), porque estaria prejudicando as investigações. Como assim se ele foi internado no dia 26 de junho e recebeu a ordem de prisão no dia 03 de julho?… Estaria prejudicando as investigações, inconsciente na maioria do tempo, entubado e de dentro da Santa Casa?…

– NÃO SERIA TAMBEM um ato desumano o indiciado receber voz de prisão num leito hospitalar com problemas gravíssimos de coração?… E se ele viesse a morrer no momento em que tomou conhecimento da sua prisão, uma situação constrangedora que em 76 anos de idade nunca passou (E CORRE O RISCO DE AINDA ACONTECER, POIS SEU ESTADO DE SAÚDE É CRÍTICO!), será que a JUSTIÇA se responsabilizaria ou se responsabilizará?…

Por todas as razões é que coloquei em duvida a acusação que paira sobre Nelson Ribeiro Mendes. Repito; não tenho como dizer se ele possa ser CULPADO ou INOCENTE, só sei que ele foi e está sendo “ESCRACHADO EM PRAÇA PÚBLICA”, vítima de denúncia de duas meninas que, pelo jeito, acabaram usadas por adultos para enviá-lo para a prisão sem direito sequer a defesa, pois seu estado grave de saúde ainda não permitiu que ele fosse ouvido.

Entendo como total falta de respeito ele ter recebido voz de prisão no leito de um hospital estando sua saúde em estado precaríssimo, e mais; com escolta policial 24 horas na porta do seu leito, como se fosse ele um CRIMINOSO DE ALTA PERICULOSIDADE, quando sua vida pregressa demonstra EXATAMENTE O CONTRÁRIO. Até que seja provado de fato que ele seja culpado, no momento trata-se de um homem que tendo construído 76 anos de sua vida embasada em feitos produtivos e importantes para sua cidade e gente, merecia um mínimo de respeito e que se direcionassem a ele com mais cuidado, não agindo com precipitação ou muita sede ao pote.

“SE PROVADA A SUA INOCÊNCIA ELE JÁ FOI SEPULTADO EM VIDA PELA JUSTIÇA”.

E mais; Nelson Ribeiro Mendes tem muito mais probabilidade de sair em óbito da Santa Casa de Cruzeiro do que vivo, pois quando recobra a consciência, desolado, só sabe chorar dizendo o tempo todo ser inocente, e não ter vontade alguma de continuar vivendo.

Uma coisa é certa; saberei dar a mão à palmatória se provado que Nelson Ribeiro Mendes é CULPADO, mas não economizarei adjetivos se provada sua INOCÊNCIA. Não digo nomes por não sabê-los, mas minha intuição diz que ele pode estar sendo vítima de PESSOAS MAL INTENCIONADAS e que possam estar se aproveitando da situação, com desejo de destruí-lo, ou possam estar se aproveitando da sua popularidade para se projetarem, repito, nas LUZES DA RIBALTA. Outra vez mais parece que estamos assistindo o velho, odioso e covarde hábito de se chutar “cachorro morto” na nossa REALIDADE COMO ELA É!…

(Matéria completa no “JR-NOTICIAS” que circulará na semana de 24 a 29 de julho, com vasta distribuição no Vale do Paraíba!)

Foto: Divulgação

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.