Polícia de São José dos Campos, SP reconstitui morte de motorista da Uber

A Polícia Civil realizou na tarde desta sexta-feira (11) a reconstituição da morte do motorista da Uber Marcos Antonio de Faria, de 29 anos, assassinado em São José dos Campos (SP). O suspeito preso na manhã desta sexta como um dos autores do crime voltou com os policiais ao local do crime e apontou como a ação teria ocorrido.

A reconstitução durou cerca de 20 minutos. Aos policiais, o homem teria confessado ter matado Marcos estrangulado na terça (8), dia em que o carro dele foi encontrado abandonado na Vila São Bento – o suspeito teria apertado o pescoço do homem com as mãos e, depois, com o cinto de segurança do carro.

Próximo ao corpo, a polícia encontrou o celular da vítima e as chaves do carro. O homem preso, de acordo com a polícia, disse que tentou roubar o Uber e ele reagiu, o que motivou a agressão. A polícia investiga a versão apresentada.

Os policiais chegaram até o suspeito por meio de denúncia. Ele foi detido no residencial Pinheirinho dos Palmares por volta de 10h30. Segundo a polícia, ele já foi reconhecido como autor de outros roubos a motoristas de Uber.

A vítima havia feito o último contato com amigos na madrugada da última segunda-feira (7) e o corpo foi encontrado na quarta-feira (9).

Prisão

A Justiça descretou na noite desta sexta (11) a prisão de dois homens suspeitos de estarem envolvidos na morte do motorista da Uber. Um deles havia sido detido na quinta (10) e, segundo a polícia, foi do celular dele que o Uber foi chamado para a corrida. Ele nega. O outro é o homem detido nesta sexta.

Segundo a polícia, eles relataram que estavam usando drogas em uma praça na avenida Andrômeda, no Jardim Satélite, quando resolveram pedir o Uber para comprar mais droga. No caminho, um desceu do carro e o outro, que confessou o crime, seguiu viagem.

A polícia desconfia da informação por acreditar que uma única pessoa não conseguiria cometer o crime e, por isso, pediu a prisão dos dois. A polícia investiga ainda a participação de mais um suspeito e a motivação do crime.

Desaparecimento

Marcos de Faria era ex-funcionário da Embraer e trabalhava como Uber há cerca de três meses. Segundo a família, como de costume, ele saiu no domingo (6) por volta das 15h e mandou a última mensagem às 1h40, dizendo que estava bem. Depois disso, eles não conseguiram mais contato.

A morte dele causou comoção entre amigos e, após o crime, profissionais da categoria reclamam de assaltos aos profissionais e pedem mais segurança.

A Uber afirma que lamenta a morte de Marcos e que está colaborando com as investigações. A empresa também defende que está adotando medidas de segurança, como a confirmação de cadastro para os passageiros que pagam corridas em dinheiro.

 

Foto: Diivulgação/DIG

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.