Vigilância Ambiental de Itatiaia, RJ orienta sobre serviço de desratização

A Prefeitura de Itatiaia, por meio da Vigilância Ambiental, realiza constantemente atividades de controle de animais que causam risco à saúde humana por meio de acidentes ou transmissão de zoonoses. Desde o início do ano, o setor ligado a Secretaria de Saúde atendeu 192 chamados da população para realizar o trabalho de desratização, serviço destinado a controlar a população de roedores.

Após a solicitação do serviço, que deve ser feito com a Vigilância Ambiental, o morador recebe o visitador do setor que irá até a residência fazer a análise da situação, pois cada caso requer um tratamento específico. Este serviço é gratuito e o procedimento deve ser feito somente por um profissional qualificado, para que saiba exatamente a quantidade ideal de produto a ser utilizado e em que locais deve ser colocado.

De acordo com a Bióloga da Vigilância Ambiental, Daniele Brasão, a prevenção é a melhor maneira de evitar a proliferação de roedores.

– Para sobreviver, os ratos, assim como insetos, precisam de água, alimento e abrigo, então medidas simples de higiene devem se transformar em hábitos e assim é possível evitar a proliferação ou aproximação desses animais. É importante ressaltar que o visitador só pode entrar na residência do morador que solicitou o serviço, não podemos entrar na casa do vizinho sem que ele solicite. O número de atendimentos está dentro do previsto e fazemos esse trabalho apenas em residências e prédios públicos. O serviço em prédios comerciais é de responsabilidade do proprietário – ressaltou Daniele.

A equipe do setor é treinada para orientar a população e aplicar o raticida de forma segura em pontos estratégicos de alimentação e passagem de ratos evitando assim danos aos moradores e aos animais de estimação da casa.

– Para garantir a segurança é preciso sempre utilizar substâncias que sejam liberadas pela legislação vigente. O chumbinho não é eficiente e nem preconizado pelo Ministério da Saúde e da Agricultura porque ele não mata a colônia inteira. Os ratos vivem em colônias e possuem sentinelas que comem primeiro o raticida, por isso usamos um remédio de ação lenta para que toda colônia possa se alimentar daquele produto, pois quando o remédio mata na hora só os sentinelas comem e o problema irá continuar – explicou a bióloga.

Mais informações e solicitações podem ser feitas na Vigilância Ambiental que fica na Avenida dos Expedicionários, 425, Centro. O telefone para contato é o 3352-4243.

Como evitar a presença dos ratos?

Para prevenir a proliferação de roedores, pode-se adotar um conjunto de medidas denominadas de “antirratização”. São elas:

  • Não jogar lixo a céu aberto ou em terrenos baldios;
  • Colocar o lixo em sacos plásticos, em latas com tampas apropriadamente fechadas e limpas periodicamente, de preferência sobre estrados ou um suporte para não ficar em contato direto com o chão;
  • Acondicionar alimentos sempre em recipientes bem fechados;
  • Inspecionar periódica e cuidadosamente caixas de papelão, caixotes, a parte posterior de armários, gavetas e todo tipo de material que adentre ao ambiente e possa servir de transporte ou abrigo de ratos;
  • Vedar frestas ou vãos que possam servir de porta de entrada para os ratos;
  • Não acumular entulho ou materiais inservíveis nas residências, quintais e terrenos baldios;
  • Manter limpos e murados os terrenos baldios;
  • Manter limpas as instalações de animais domésticos;
  • Não deixar água e restos de alimentos de cães e gatos durante a noite nos quintais e residências.

 

Por Luana Vieira – PMI

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.