Advogada agredida por companheiro beneficiado por saída temporária morre em Guaratinguetá, SP

Ela estava internada em estado grave no Hospital Frei Galvão desde o último domingo (15). Ele deu um soco nela durante uma discussão.


Jovem morreu após ser agredida por detento beneficiada por saída temporária (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Jovem morreu após ser agredida por detento beneficiada por saída temporária (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A advogada de 35 anos, que sofreu traumatismo craniano após levar um soco do companheiro, morreu no começo da tarde desta quinta-feira (19) em Guaratinguetá (SP). Ela estava internada em estado grave no Hospital Frei Galvão desde o último domingo (15).

Gabriela Monteiro foi agredida pelo namorado após os dois deixarem uma casa nortuna de Lorena. O suspeito cumpria pena por extorsão e roubo e havia deixado o presídio para a saída temporária de Dia das Crianças. O homem confessou o crime e está preso.

Ele havia progredido ao regime semiaberto em julho e essa tinha sido a primeira saída da penitenciária. A advogada agredida o defendia no processo. A família da vítima, que preferiu não dar entrevista, informou apenas que desconhecia que eles tinham um relacionamento.

De acordo com a Polícia Civil, os dois teriam ido a uma casa noturna e ao saírem do estabelecimento se desentenderam. No depoimento, o homem de 23 anos disse que o motivo da briga foi ciúmes.

Durante a discussão, ele deu um soco na cabeça da vítima. Ela foi sozinha até o pronto-socorro de Lorena, mas enquanto aguardava um raio-x, o homem apareceu e eles foram embora.

No caminho para a casa da advogada em Guaratinguetá, ela teve fortes dores na cabeça e começou a passar mal. O namorado a levou para o hospital Frei Galvão e se escondeu na casa de uma tia.

O hospital acionou a Polícia Militar que conseguiu localizar e prender o suspeito. Ele vai responder por homicídio.

Cadastro da advogada na penitenciária onde o agressor era interno (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Cadastro da advogada na penitenciária onde o agressor era interno (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.