Tio de uma das meninas mortas na zona leste de São Paulo é preso após exame de DNA

Alvaro Magalhães e Gustavo Basso – Um tio de Beatriz Moreira dos Santos, uma das duas meninas de 3 anos encontradas mortas dentro de um veículo na zona leste no mês passado, foi preso após exame de DNA na roupa da criança.

A prisão do suspeito — identificado como Thiago — foi pedida pelo DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa) após exame de DNA revelar o parentesco. Ele foi detido no dia 1º de outubro.

Até então não havia indícios contra o tio.

Dois detidos no mês passado sob suspeita de cometer o crime não o haviam apontado como coautor. A perícia também não havia identificado digitais do tio na van onde as meninas foram encontradas.

Em depoimento à polícia, o tio negou envolvimento no crime e disse que, depois que mantinha relações com a mulher, costumava se limpar em roupas que estavam pela casa, inclusive da criança.

A mulher do detido entrou em contato com a reportagem do R7 na manhã desta quinta-feira (16) e deu a mesma versão que o marido forneceu à polícia.

O caso

Beatriz Moreira dos Santos e Adrielly Mel Severo Porto, ambas de 3 anos, desapareceram na região da Vila Jacuí, zona leste, em 24 de setembro. Duas semanas depois, elas foram encontradas mortas em uma van estacionada dentro de um terreno na região.

Durante as investigações, a polícia concluiu que as crianças foram violentadas e assassinadas no mesmo dia em que desapareceram. Marcelo Pereira de Souza, que confessou o crime após o depoimento da mulher, e Everaldo de Jesus Santos, conhecido como Val, foram presos no último dia 20.

Antes, a dupla havia sequestrada de torturada por suspeitos de integrar a facção criminosa PCC, que desconfiavam dos dois.

A polícia, no entanto, ainda aguardava exame de DNA para concluir o inquérito. A reconstituição do crime deve ocorrer na manhã desta quinta-feira (16).

 

 

Foto: Reprodução

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.