Russo é preso em Cumbica, por contrabando de animais em SP

Um cidadão russo proveniente da Bulgária foi preso na tarde desta quinta-feira (22) no Aeroporto Internacional de São Paulo em Guarulhos, tentando internar três gatos da raça Maine Coon e um cão Pekingese sem passar pela inspeção das autoridades.

O russo se dirigiu ao setor de “nada a declarar” no desembarque do aeroporto, mas foi escolhido por agentes da Receita Federal para passar por inspeção. Os agentes encontraram duas caixas de transporte de animais.

Em uma tinha um cão e na outra um gato. Segundo um agente da Receita, outros dois gatos foram encontrados escondidos numa espécie de sacola. Todos estavam em condições insalubres e cheirando a fezes e urina.

Segundo nota da Polícia Federal, nenhum animal possuía documentação legal para ingressar ao Brasil mas o funcionário da Receita Federal disse para nossa reportagem que todos os animais tinham passaporte porém acrescentou que o estrangeiro, apesar de possuir documentos dos animais, só declarou dois deles para a companhia aérea Turkish Airways.

Um dos gatos estava em caixa para transporte de animais

Questionado se os animais foram submetidos a exames no escâner do aeroporto, informou que por instrução do fabricante animais não podem ser submetidos a esse tipo de exame por trazer riscos à saúde dos bichos.

O cidadão russo que teve a identidade preservada pela Polícia Federal, já esteve outras cinco vezes no Brasil.

Numa delas foi pego transportando outros três animais que se encontravam anestesiados. As autoridades não souberam informar o destino deles naquela época nem se o russo foi punido de alguma forma.

Interrogado declarou que dois gatos seriam vendidos no Brasil para uma mulher e o terceiro para um alemão e que os compradores se encontravam aguardando no aeroporto.

O cão continuaria viagem até Marrocos para onde ele embarcaria logo após entregar os gatos.

Dois gatos da raça Maine Coon estavam em sacolas

Agentes foram ao encontro dos compradores que foram conduzidos até a delegacia onde confirmaram a história e foram liberados.

Os animais, cujo valor é estimado pela PF em 30 mil reais, foram entregues aos próprios compradores como fiéis depositários.

Eles declararam desconhecer a situação de maus tratos aos que os animais eram submetidos.

O cidadão russo continua detido na delegacia da Polícia Federal no Aeroporto e deverá responder audiência de custódia para posteriormente ser conduzido ao presidio estadual.

Pessoas físicas são proibidas de transportar animais para comércio segundo informações da Receita Federal. Casos em que é permitido o transporte são os de animais de estimação que saíram do país e estão retornando de viagens ao exterior acompanhados dos seus proprietários ou animais que foram adquiridos no exterior por brasileiros que retornam ao país após longos períodos de residência no estrangeiro.

Animais para comercio só podem ser importados por empresas e transportadas como carga.

 

Reportagem Lumi Zúnica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.