Após morte de líder do PCC, tráfico de drogas migra do Campo dos Alemães em São José dos Campos, SP – A Gazeta

Após morte de líder do PCC, tráfico de drogas migra do Campo dos Alemães em São José dos Campos, SP

Guilhermo Codazzi – A fila de carros invade a avenida dos Evangélicos, no coração do Campo dos Alemães, bairro na zona sul de São José dos Campos. Vindos de toda a cidade, os usuários esperam o atendimento no ‘drive thru’ da droga. Só de cocaína, são vendidos R$ 2 milhões por mês.

Vinte e quatro horas por dia e nos sete dias da semana, esse cenário se repetia ali no Campo, sob domínio de Lúcio Monteiro Cavalcante — um dos líderes do PCC (Primeiro Comando da Capital) na RMVale, que morreu em uma troca de tiros com policiais militares em março do ano passado, em São José.

Um ano depois, a morte ainda possui profundo impacto neste xadrez do crime no município.

De lá para cá, de acordo com as fontes ligadas ao monitoramento e ao combate ao crime organizado, o tráfico teve dura queda no bairro e migrou para áreas vizinhas e também outras regiões. “Campo já era, o tráfico migrou para os bairros ali ao lado [como Dom Pedro, Jardim Colonial, e outros]. Fortaleceu também a zona norte e leste, os usuários, muita gente, deixou de ir para o Campo”, declarou à reportagem um dos encarregados do serviço de inteligência das forças policiais.

Na zona leste se destaca o Jardim São José 2, conhecido no meio policial como CDD ou Cidade de Deus.

TRÁFICO.

Dados oficiais da Secretaria de Segurança Pública do Estado apontam que São José teve 139 ocorrências de tráfico nos dois primeiros meses do ano. O número, no ano passado, foi de 965 casos. Segundo a polícia, o comércio de entorpecentes é a causa de cerca de 80% dos assassinatos na RMVale.

 

Foto: /Divulgação/Polícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.