EXCLUSIVO – Caso Sérgio Bastos: Após três anos de acusação de latrocínio, envolvido confessa crime

 

Redação – A reportagem do Portal A Gazeta RM teve acesso a documentos sobre o latrocínio de que vitimou Sérgio Valério Bastos, no dia 12 de março de 2015 em Lavrinhas.

Segundo os documentos o acusado Vitor Diego Isidoro confessa o crime reparando a injusta acusação a qual recaí sob os demais acusados que também estão presos desde  24 de março de 2015.

Segundo o acusado ele mantinha um relacionamento com Júlia Alves, certa vez, que descobriu que a mesma vinha o traindo com a vítima.

Em declaração Vitor Diego Isidoro alega que imbuído por raiva e ciúmes começou a monitorar Júlia através dos aplicativos messenger e WhatsApp.

No dia do encontro combinado entre a vítima e Júlia, o acusado estava, segundo ele na cidade de Guaratinguetá, mas decidiu retornar a cidade de Cruzeiro, momento em que surpreendeu a vítima juntamente com Júlia e Scarlet dentro da residência na Vila Romana. Ainda comentou que determinou que Scarlet amarrasse a vítima.

Diego Isidoro alega que outro rapaz que estava está preso acusado em participação do crime teria chego na residência no momento dos fatos para tratar com ele sobre a compra e venda de um veículo.

“A vítima foi colocada dentro do interior do porta mala do veículo, ao qual eu o conduzi acompanhado por Scarlet.  D. (inicial do quarto acusado) foi obrigado por mim a acompanhar o veículo que eu estava conduzindo, pois eu iria dar um susto na vitima e deixa-lo amarrado no porta mala”, comenta.

Em declaração Vitor Diego Isidoro alega que os demais acusados não sabiam de sua intensão, e que sequer os mesmos tiveram colaboração nos fatos, pois estava com ciúmes quando decidiu segundo os documentos ´executar´ a vítima.

Os documentos deixam bem claro que o acusado confessa veementemente ter cometido o crime de homicídio, bem como clama pela inocência dos demais acusados.

A advogada de Vitor Diego Isidoro em seu pedido requer que seja reconhecida a nulidade arguida, absorvendo ainda os demais acusados das imputações criminosas.

Em caso remoto de condenação a advogada solicita que seja concedido o direito de seu cliente recorra em liberdade, levando em conta o excesso de prazo na forma de culpa. Já que o acusado confessou o crime.

O crime:

O delegado Sandro Franqueira Ramos anunciou na tarde de ontem (24/03/15) a prisão de três suspeitos da morte de Sérgio Valério Bastos de 48 anos, (foto) ocorrido no dia 12 de março na estrada velha que liga Cruzeiro à Lavrinhas.

Segundo o delegado o crime foi caracterizado como latrocínio (roubo seguido de morte). Informações dão conta que Bastos teria conhecido uma moça de 19 anos, moradora da Vila Romana e que tem parentes em Pindamonhangaba, onde iniciaram um romance durante o carnaval.

A vítima teria trazido a acusada de Pindamonhangaba para Cruzeiro na noite dos fatos e teria deixado a mesma em uma casa localizada na Rua Moreira Cesar, onde a acusada reside.

Ao chegar no local, Bastos foi surpreendido por duas pessoas que já estavam no local que o amarraram e amordaçaram.

O delegado alega que o filho da vítima, após saber do fato ocorrido teria dito que seu pai estava se relacionando com uma moça loira da cidade de Cruzeiro, apresentando uma foto da suposta acusada.

Com a foto em mãos, os investigadores da DIG de Cruzeiro foram a Pindamonhangaba no hotel onde a vítima estava hospedada e apresentaram ao porteiro, que disse que a vítima teria confiado em dizer que ele estaria tendo um caso com a acusada, e que na noite do dia 11 a acusada e a vítima foram vistos no hotel.

Com isso o delegado e os investigadores ligando os fatos, mapearam o local onde o carro foi encontrado, já que o mesmo tinha rastreador, onde constou que na noite do ocorrido ele teria ficado na Vila Romana por mais de uma hora.

Foi expedido o mandado de busca na residência dos acusados, onde a Polícia Civil logrou êxito em achar a aliança da vítima dentro da residência, confirmando assim a participação dos acusados.

Uma quarta pessoa foi ouvida pelo delegado Franqueira Ramos que em testemunho alegou ter visto a vítima na casa dos acusados, mas não teria participado do crime. Seguem as investigações para que a polícia feche o inquérito e encaminhe ao Ministério Público.

O acusado está detido na Cadeia Pública de Cruzeiro e as duas mulheres detidas na Cadeia Pública de Queluz.

 

Fotos: Reprodução /Facebook

Um comentário em “EXCLUSIVO – Caso Sérgio Bastos: Após três anos de acusação de latrocínio, envolvido confessa crime

  • 20 de julho de 2018 em 16:58
    Permalink

    Tudo mentira.eles combinaram matar para roubar.sergio foi vitima de uma armaçao entre julia scarlat e diego.armaram para ele ser roubado e morto.advogados estao tentando limbar a barra das envolvidas.jogando na costas de quem ja ta bem sujo na justiça.a policia sabe qual foi a verdadeira intencao.se existe lei.30 anos para os tres.tres assassinos.

Fechado para comentários.