SP oferece R$ 50 mil de recompensa por informação sobre desaparecimento de soldado da PM – A Gazeta

SP oferece R$ 50 mil de recompensa por informação sobre desaparecimento de soldado da PM

As polícias Civil e Militar continuam as buscas pela soldado Juliane Santos Duarte, de 27 anos, que desapareceu na favela de Paraisópolis, na Zona Sul de São Paulo, após encontrar amigos em um bar na comunidade na última semana.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública ofereceu uma recompensa de R$ 50 mil por informações que levem à descoberta do paradeiro da policial. A ligação pode ser feita para o Disque Denúncia no número 181, e a privacidade é garantida.

Na noite de domingo (5), após uma denúncia anônima, um homem foi preso na comunidade com uma pistola Glock e mais R$ 300 em dinheiro.

Ele foi preso em flagrante por porte ilegal de armas e dinheiro sem procedência, mas a participação dele no desparecimento da soldado acabou sendo descartada na manhã desta segunda (6).

Polícia oferece R$ 50 mil por informação sobre policial desaparecida em Paraisópolis

Polícia oferece R$ 50 mil por informação sobre policial desaparecida em Paraisópolis

Juliane está sumida desde quarta-feira passada, quando na favela para comemorar o nascimento do bebê de um casal de um casal de amigos. Em seguida, foi para um bar com amigas e lá, bandidos descobriram que ela é PM.

Uma testemunha disse que, por vor volta das 3 horas, ao retornar do banheiro de um bar, ela teria escutado alguém reclamar do sumiço de um aparelho celular. Neste momento, “sacou a arma da cintura e colocou sobre a mesa, dizendo que ninguém sairia do local até que o celular aparecesse, se identificando como policial”.

Cerca de 40 minutos depois, de acordo com as amigas que estavam com Juliane no bar, quatro homens invadiram o local, sendo três encapuzados, portando armas de fogo. A integrante da corporação teria sido abordada e questionada se era a policial. Os encapuzados teriam atirado nela duas vezes. Em seguida, ela foi levada com os homens.

Moto encontrada

A moto dela foi achada na quinta-feira em Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo.

Câmeras de segurança flagraram um homem deixando a moto no local, sendo escoltado por outros três suspeitos em outras duas motos.

Policial Militar Juliane dos Santos, desaparecida em Paraisópolis (Foto: Reprodução/PM)

Policial Militar Juliane dos Santos, desaparecida em Paraisópolis (Foto: Reprodução/PM)

A polícia já identificou o homem que abandonou a moto dela, mas ele ainda não foi preso. A moto foi periciada pelo Instituto de Criminalística e por policiais do Instituto de Identificação de São Paulo. Eles encontraram impressões digitais que vão ajudar na investigação.

Juliane mora em São Bernardo do Campo com a mãe e a irmã, trabalha na Polícia Militar há dois anos, no turno da noite, e havia acabado de sair de férias. Seus colegas dizem que ela é disciplinada, dedicada e muito querida por todos.

Para tentar localizar Juliane, a polícia está usando equipes especializadas em matas e áreas de risco na comunidade de Paraisópolis. Cães farejadores foram levados para procurar pistas ao redor do bar onde a policial foi vista pela última vez. Neste sábado, equipes do comando de operações especiais entraram nos corredores da favela para checar informações de denúncias anônimas.

Policial Militar Juliane dos Santos, desaparecida em Paraisópolis (Foto: Reprodução/PM)

Policial Militar Juliane dos Santos, desaparecida em Paraisópolis (Foto: Reprodução/PM)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.