bebe_paraibuna

A menina foi entregue a família – Reprodução/Polícia Civil

A filha de Leila dos Santos, grávida assassinada em Paraibuna, já está morando com seus familiares. A bebê de dois meses foi resgatada pela polícia em Duque de Caxias (RJ) no dia 14 de julho.

Na tarde desta quinta-feira (30), a família levou a criança à Delegacia de Paraibuna e agradeceu o empenho na investigação e resgate da criança.

Leila, 39 anos, foi assassinada e teve sua filha arrancada do útero em uma estrada rural de Paraibuna. O corpo dela foi encontrado carbonizado no dia 4 de julho e, graças a uma rápida ação da Polícia Civil, a criança foi encontrada em uma favela da cidade fluminense. Quatro acusados pelo crime foram presos.

bebe_gravida_de_paraibuna

Após o resgate,  a menina ficou 13 dias na UTI Neonatal do Hospital Municipal Dr. Moacyr do Carmo e depois foi encaminhada para o abrigo Lar Jesus é Amor, também em Duque de Caxias, onde ficou até ser entregue a seus parentes.

Familiares de Leila já cuidavam de dois filhos dela e agora estão também com a menina.

O crime

O corpo de Leila Santos, 39 anos, foi morta e teve seu bebê arrancado  foi encontrado no dia 4 de julho às margens da represa por funcionários da balsa. Ao lado do corpo da mulher estava a placenta, o que indicou que foi feita uma cesárea improvisada e o bebê foi levado.

A criança da vítima foi encontrada na manhã do dia 14 de julho em uma favela do município de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. A recém-nascida foi encaminhada a um hospital e teve alta no dia 26 de julho, quanfo foi encaminhada para o abrigo de crianças chamado Lar Jesus é Amor, onde permaneceu até ser entregue para a família da vítima nesta semana.