Prefeito de Lorena, SP deixa PSDB, critica Doria e declara apoio a Márcio França

Fábio Macondes criticou o PSDB, partido que era filiado há sete anos — Foto: Reprodução/Facebook

Fábio Macondes criticou o PSDB, partido que era filiado há sete anos — Foto: Reprodução/Facebook

O prefeito de Lorena (SP), Fábio Marcondes, manifestou apoio à candidatura de Márcio França (PSB) e, com a adesão, anunciou a desfiliação do PSDB, partido de João Doria, adversário de França no segundo turno ao Governo de São Paulo. Em post em uma rede social, ele expôs o ‘racha’ que a canditatura de Doria causa no partido.

Além dele, outros dois prefeitos tucanos da região, Laurindo Garcêz, de Queluz, e Lucemir do Amaral, de Canas, também manifestaram apoio ao candidato do PSB. Ambos mantêm a filiação ao PSDB. (leia mais abaixo)

No texto postado na última quarta (11), Fábio Marcondes criticou o partido – do qual era filiado desde 2011.

“Não é de agora que tenho explanado aqui meu descontentamento com o partido, que até poucos meses administrava o Estado de São Paulo e que, durante anos, pouco somou aos projetos e investimentos pensados por minha administração para Lorena”, disse em trecho.

Ele também não poupou Doria, a quem acusa de não representar os ideais do partido e sim, um projeto pessoal. “Estamos em período eleitoral e acredito que o mesmo [Doria] não representa os ideais do PSDB, e sim, um projeto pessoal do qual não me identifico”, disse.

Marcondes informou que está, por enquanto, sem partido. Ele não quis dar entrevista sobre o assunto.

Outros apoios

O prefeito de Queluz, Laurindo Garcêz, explicou que decidiu apoiar França porque acredita que ele tenha propostas que vão de encontro aos interesses do município. “Somos um município pequeno, com pouca receita e o Márcio França propôs fazer covênios, viabilizar parcerias, acredito nesse modelo de gestão”, disse. Ele também criticou a falta de lealdade de Doria ao ex-governador Geraldo Alckmin.

O prefeito Lucemir do Amaral, de Canas, também criticou o compartamento de Doria. “Eu não aprovei essa falta de lealdade ao Geraldo e, se o partido não gostar do meu apoio ao Márcio França, ou exigir que eu saia do partido, não tem problema”, disse. Ele também ponderou que vê no candidato do PSB alguém mais acessível aos municípios menores, em relação a Doria.

A região elegeu há dois anos, 17 prefeitos pelo PSDB. Com a saída de Fábio Marcondes, são 16 prefeitos tucanos atualmente.

PSDB

A coordenação do PSDB em São Paulo foi procurada pela reportagem e não havia se manifestado sobre o assunto até a publicação desta reportagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.