Bispo de Lorena é indicado pelo Vaticano para investigar extorsão e coação na Diocese de Limeira, SP

Dom João Inácio Muller, bispo da Diocese de Lorena, foi indicado pelo Vaticano para ajudar a Igreja Católica na apuração das denúncias de extorsão e coação na Diocese de Limeira (SP). Ele foi escolhido pelo núncio apostólico do Brasil, arcebispo dom Giovanni d’Aniello, representante do papa no país.

Dom João, que é bispo de Lorena desde 2014, chegou a Limeira na última segunda-feira (18) para uma ‘visita apostólica’. Segundo a diocese, ele vem promovendo “um diálogo com o bispo diocesano e padres para entender a situação”.

A reportagem tentou contato com dom João para saber quantas pessoas já foram ouvidas e quanto tempo vai durar essa missão. O teor das declarações que ele está coletando é ‘segredo canônico’.

Dom João foi convocado para averiguar as denúncias que recaem sobre o bispo dom Vilson Dias de Oliveira, de Limeira. Ele foi acusado de corrupção por padres de paróquias da região que respondem à diocese que ele comanda.

O caso foi revelado pelo jornal Folha de S. Paulo no dia 29 de janeiro. Dom Vilson também é acusado de acobertar casos de abuso sexual de menores envolvendo um padre de Americana.

Em um depoimento, um antigo padre da basílica disse que o bispo teria pedido R$ 50 mil para comprar armários para sua casa em Guaíra (SP), em 2012. O padre não teria atendido ao pedido e foi substituído depois de alguns meses.

Sobre as acusações, ele alega inocência. Já a acusação de pedofilia, contra o padre Pedro Leandro Ricardo, de Americana, resultou na afastamento dele por tempo indeterminado. A polícia também investiga as denúncias.


 Foto: FranciscanosRS.org/Divulgação