Justiça militar manda soltar 32 PMs do batalhão de Volta Redonda, RJ

A advogada Daniela Gregio confirmou hoje, terça-feira, 26, que a Justiça mandou soltar os 32 policiais militares do 28º Batalhão da PM (Volta Redonda),  presos há sete meses. Na ocasião, os militares foram detidos por policiais federais, suspeitos de extorquir dinheiro de traficantes do Sul Fluminense.

A advogada explicou que a Justiça Militar entendeu que não havia necessidade de manter os réus detidos.

– A juíza entendeu que a prisão dos policiais militares hoje, é desnecessária, porque as testemunhas foram ouvidas, assim como todos os atos do processo já foram praticados. A liberdade deles (PMs) não coloca em risco a instrução criminal. Os policiais vão aguardar a sentença em liberdade – argumentou a advogada, acrescentando que o depoimento foi imprescindível para esclarecer equívocos, pois, segundo ela, alguns PMs presos foram confundidos com policiais investigados pela PF.

Prisões

A operação denominada “Corruptus” foi deflagrada em 16 de novembro do ano passado, pela PF e Justiça Militar, e tinha objetivo cumprir mandados de prisão preventiva. Ao todo foram detidas 100 pessoas, entre militares e civis.

Segundo o Ministério Público, as propinas cobradas para que os PMs não prendessem bandidos e liberassem as drogas, variavam entre R$ 500 e R$ 10 mil,  dependendo da quantidade de entorpecentes apreendidos.

Além dos PMs, durante as ações, foram presos outros 57 suspeitos de tráfico de drogas, em Volta Redonda, e mais 13 em Itatiaia e Resende. Os civis respondem  na Justiça estadual, mais conhecida como “Justiça comum”.

Já os PMs respondem por tráfico de drogas, roubo, corrupção e associação criminosa armada, além de responderem administrativamente por eventuais transgressões disciplinares cometidas.

Foto: Arquivo DV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.