Menor nega ter participado de morte de mulher em Volta Redonda, RJ é mantido acautelado

Um menor de 15 anos negou nessa quinta-feira, 13, na 93ª DP (Volta Redonda) ter participado do assassinato da cerimonialista, Emiliane Pereira, de 47 anos. Ela foi morta na noite de terça-feira, 11, com um tiro nas costas quando saía de carro, um Prisma, do Condomínio Ingá II, no bairro Santa Cruz.

Mesmo tendo negando envolvimento no crime, o adolescente ficou acautelado no Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente (CRIAAD), por ser foragido da Justiça, segundo a Polícia Militar. Os agentes disseram que o menor foi apreendido após chegar, na quinta–feira, num Fiesta branco, no Condomínio do Ingá.

O jovem foi levado para a delegacia, na condição de testemunha e foi apresentado ao delegado Franquis Nepomuceno. O adolescente seria liberado, mas como tinha pendência com a Justiça ficou acautelado na instituição, que abriga menores infratores.

A polícia apura a versão de que um “olheiro do tráfico” atirou no Prisma, atingido a mulher, porque a mesma não obedeceu às regras de acesso ao local: manter a luz interna do carro acessa, faróis baixos e vidros das janelas abertos.

De acordo com uma testemunha, traficantes impõem suas próximas “leis” no condomínio. Uma delas determina que qualquer motorista que entra ou saia à noite da localidade siga as regras de identificação. A intenção é evitar a entrada de policiais em carros descaracterizados. As policias Civil e Militar prosseguem com as investigações.