Programa estadual de habitação beneficia Guaratinguetá e Potim, SP

Projeto lançado por Doria prevê investimento de R$ 1 bilhão; moradias devem ser entregues em 2021

O governador João Doria, durante cerimônia de lançamento do projeto habitacional “Nossa Casa”, em São Paulo; cidades da região são contempladas (Foto: Divulgação GESP)
O governador João Doria, durante lançamento do projeto habitacional “Nossa Casa”; cidades da região são contempladas (Foto: Divulgação GESP)

Aposta do governador João Doria (PSDB) para reduzir consideravelmente o déficit habitacional no estado, foi lançado na última semana o programa habitacional “Nossa Casa”, que prevê a construção de sessenta mil moradias populares até 2022. Em sua primeira fase, o projeto atenderá quatro municípios da RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte).

Com a previsão de investimento de cerca de R$ 1 bilhão, o programa inicialmente viabilizará a construção de 27 mil moradias populares, distribuídas por 133 cidades, que já possuíam seus projetos cadastrados na secretaria de Habitação e com seus tramites burocráticos em andamento desde o ano passado através da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo). Além de Guaratinguetá e Potim, na RMVale se encaixam nesta situação Natividade da Serra e Paraibuna.

De acordo com gerente regional do CDHU, Francisco Assis Vieira, o Tchesco, serão investidos aproximadamente R$ 33 milhões na construção de 329 moradias na região. Em contrapartida, as prefeituras doarão os terrenos que abrigarão os empreendimentos. “Nossa expectativa é que em até três meses sejam concluídos os processos licitatórios para as contratações das empresas que serão responsáveis pelas obras. Esperamos que as casas comecem a serem erguidas no inicio do ano que vem e entregues no começo de 2021”, explicou Tchesco.

Segundo o gerente, a previsão é que os cadastramentos para as famílias interessadas em conquistarem o “sonho da casa própria” sejam abertos até o fim do primeiro semestre de 2020.

Enquanto Paraibuna terá 48 moradias populares, Natividade da Serra contará com apenas 16. Com 187 imóveis, Potim é a que mais receberá unidades na região.

De acordo com a Prefeitura, elas serão construídas no bairro Vista Alegre, próximas à avenida Miguel Vieira dos Santos. As tratativas entre o Município e a CDHU começaram em 2013, mas avançaram apenas em 2017 já na gestão da atual prefeita, Erica Soler (PL). Poderão concorrer ás chaves as famílias que ainda não possuem casas próprias ou que vivem em áreas consideradas de risco pela Defesa Civil.

Já Guará, foi contemplada com 78 moradias, que serão edificadas no   Santa Luzia. Além de revelar que o atual déficit habitacional do município é inferior a dois mil, uma nota oficial da Prefeitura de Guaratinguetá explicou que as tratativas entre o prefeito Marcus Soliva (PSB) e a estatal começaram no início do ano passado.
Segundo o Executivo, serão cadastradas no programa famílias que possuem renda de 1 a 5 salários mínimos.

Por Lucas Barbosa – Jornal Atos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.