Doria anuncia transferência do CDP de Pinheiros; área será um centro industrial de tecnologia e inovação

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou na manhã desta quinta-feira (7) que o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pinheiros, na Vila Leopoldina, Zona Oeste da capital paulista, mudará de endereço.

Governador João Doria durante coletiva de imprensa sobre a construção de centros de tecnologia e inovação em São Paulo.  — Foto: Laís Modelli/G1

Foto: Laís Modelli

No local, será construído um centro industrial que integrará um novo polo de tecnologia e inovação. Doria não deu detalhes sobre o que vai acontecer com os presos, futuro endereço do CDP e a data da mudança.

O CDP de Pinheiros tem quatro prédios com capacidade total para 2.452 detentos, mas que abrigam 6.046 presidiários, segundo a Secretaria de Administração Penitenciária.

Além do CDP de Pinheiros, o novo polo de tecnologia deve ser formado por outros três centros industriais onde atualmente funcionam: o Parque do Jaguaré; o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT); a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), área do governo federal que entrou em programa de desestatização.

Batizado pelo governo estadual de Centro Internacional de Tecnologia e Inovação (CITI), o projeto será implantado em quatro fases. A primeira delas será inaugurada em maio de 2020, no atual terreno do IPT, uma área de 300 mil m² que abrigará, inicialmente, três empresas.

A construção do centro industrial no terreno que hoje abriga o CDP de Pinheiros será a terceira fase do projeto.

O anúncio ocorreu durante uma coletiva de imprensa na manhã desta quinta, no Palácio dos Bandeirantes, Zona Sul de São Paulo. Durante o evento, Doria também informou que visitará o Vale do Silício na Califórnia, Estados Unidos, no final de novembro, para aprimorar ideias para o CITI. O projeto tem sido chamado de “Vale do Silício urbano de São Paulo” pelos tucanos.

“Inovação tem CEP. Precisamos concentrar todas as empresas em um mesmo lugar”, afirmou durante a coletiva a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

Ceagesp

No dia 25 de outubro, Doria assinou decreto da privatização das atividades e da mudança de endereço da Ceagesp, na Vila Leopoldina. Assim como no caso do CDP de Pinheiros, o novo endereço do entreposto ainda não foi definido.

Na mesma data, o governador também assinou decreto que permite a construção do novo centro de distribuição de alimentos e de outros entrepostos em locais com acesso direto às grandes rodovias na Grande São Paulo que tenham pista dupla.

A construção da área industrial no atual terreno da Ceagesp será a quarta e última fase do Centro Internacional de Tecnologia e Inovação.

Apesar da promessa anterior de transferir a posse da Ceagesp ao governo do estado, o governo de Bolsonaro não cumpriu a promessa e incluiu o entreposto no programa nacional de desestatização do governo federal e no programa de parcerias de investimentos da Presidência da República.

Por Laís Modelli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.