Juristas católicos buscam apoio para ação contra retirada de monumentos em Aparecida, SP

Grupo cria abaixo-assinado e conta com associações; decisão barra investimento público de R$ 280 mil

Parte da imagem de Nossa Senhora de Aparecida, alvo de polêmica com decisão judicial em outubro (Foto: Reprodução)
Parte da imagem de Nossa Senhora de Aparecida, alvo de polêmica com decisão judicial em outubro (Foto: Reprodução)

A União dos Juristas Católicos de São Paulo lançou a campanha “Unidos por Aparecida – Monumento 300 anos” para recolher assinaturas de um abaixo-assinado para tentar reverter decisão da Justiça que pede a retirada de cinco estátuas, em espaços públicos da cidade, que homenageiam aos 300 anos da devoção à Nossa Senhora Aparecida.

A petição será de âmbito nacional e tem o apoio da Associação Comercial de Aparecida, Sinhores (Sindicato dos Hotéis, Bares e Similares), Associação dos Ambulantes e de moradores.

Segundo o presente de comissão da Ujucasp, Miguel da Costa Carvalho Vidigal, grupos católicos das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste já entram em contato para dar apoio à causa.

De acordo com Vidigal, as assinaturas, a princípio, não serão de forma online, mas poderá ser feito o download do formulário da petição no site ujucasp.org.br. “Ainda não colocamos em prática as assinaturas online, pois uma assinatura ao lado do CPF da pessoa é mais “potente”. Na versão digital podem alegar que inventamos, mas desta forma não terão como”.

O documento deve ser enviado para os endereços da Ujucasp (rua Caçapava, nº 49, São Paulo-SP) ou para Associação Comercial de Aparecida (rua Laurindo de Castro, nº 17).

O advogado acredita que a sentença não se sustentará na segunda instância, pois o governo federal assinou um tratado junto à Santa Sé, em 2008, homologado pelo Congresso Nacional em 2010, que declara “…empenho na destinação de espaços a fins religiosos, que deverão ser previstos nos instrumentos de planejamento urbano a serem estabelecidos no respectivo Plano Diretor (trecho do decreto)”.

O caso – Em outubro deste ano, a Atea (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos) entrou com um pedido na Justiça de Aparecida pela retirada de cinco monumentos referentes aos trezentos anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, comemorados em outubro de 2017.

A Atea reivindicou o estado laico para defender o pedido, já que as obras feitas tiveram o uso do dinheiro público.

Criadas pelo escultor Gilmar Pinna, as estátuas tinham orçamento de R$280 mil, com valor custeado pela Prefeitura, com verbas do Dade (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias). Entre as imagens, uma estátua da santa católica e a criação de um parque temático, estão no projeto.

Na sentença, a juíza Luciene Allemand, de Aparecida, determinou a “proibição definitiva” do financiamento de obras pela Prefeitura.

O prefeito afastado de Aparecida, Ernaldo Marcondes (MDB), também foi condenado a ressarcir os valores empenhados para a implantação dos monumentos.

Por Marcelo Augusto dos Santos – Jornal Atos

3 comentários em “Juristas católicos buscam apoio para ação contra retirada de monumentos em Aparecida, SP

  • 12 de dezembro de 2019 em 13:32
    Permalink

    Asking questions are actually pleasant thing if you are not understanding anything completely, except
    this piece of writing gives pleasant understanding yet.

  • 12 de dezembro de 2019 em 16:44
    Permalink

    I just like the valuable info you provide for your articles.
    I’ll bookmark your blog and test again here regularly.
    I’m quite sure I’ll be informed plenty of new stuff right here!
    Best of luck for the next!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.