Prefeito de Barra Mansa, RJ após liminar do STF volta ao cargo

Após liminar do Supremo Tribunal Federal, Rodrigo Drable (DEM) voltou nesta sexta-feira (31) a ocupar o cargo de prefeito de Barra Mansa, no Sul do Rio de Janeiro. Ele havia sido afastado do cargo após acusações de corrupção.

A liminar foi assinada pelo Ministro do STF Dias Toffoli e suspende os efeitos da decisão que determinava o afastamento do prefeito. O ministro considerou que não está clara a participação de Rodrigo no suposto caso de corrupção.

Prefeito foi recebido por apoiadores na entrada da prefeitura  — Foto: Reprodução/Chico de Assis

Foto: Reprodução/Chico de Assis

Prefeito foi afastado após suspeita de corrupção

Rodrigo Drable havia sido afastado do cargo de prefeito de Barra Mansa por estar sendo investigado por um suposto esquema de pagamento de propina para que vereadores votassem a favor da aprovação das contas públicas referentes ao ano de 2018. Em um vídeo encaminhado junto com a denúncia feita ao Ministério Público, ele aparece oferecendo R$ 30 mil ao vereador Gilmar Lélis.

Na manhã do dia 14 de julho, agentes do Ministério Público do Rio de Janeiro e policiais civis cumpriram mandados de busca e apreensão na prefeitura, na casa do prefeito e em outros três endereços ligados a pessoas suspeitas de fazerem parte do esquema, entre eles, o presidente da Câmara, Paulo Afonso Sales Moreira da Silva, o Paulo Chuchu, do Democratas, e o vereador Zélio Resende Barbosa, o Zélio Show, do PRTB, que aparece no vídeo. Todos foram afastados dos cargos.

Na quarta-feira (29), foi aprovada a abertura do processo de impeachment contra o prefeito. A votação aconteceu durante a primeira sessão realizada na Câmara Municipal após o afastamento de Rodrigo. Foram 14 votos a favor da abertura do processo de impeachment e duas abstenções.

O pedido de impeachment foi feito pelo vereador Marcell Castro, que não pode participar da votação desta quarta-feira. A suplente Cristina Magno (PTB) ocupou a cadeira de Marcell durante a sessão.