Polícia de Três Corações, MG investiga se detenta que morreu em penitenciária teve acesso a álcool em gel

A Polícia Civil investiga se a detenta que morreu após provocar um incêndio na Penitenciária de Três Corações (MG) tinha acesso a álcool em gel. Outras 11 detentas e cinco funcionários que inalaram fumaça precisaram de atendimento médico de emergência. A polícia abriu um inquérito para apurar as causas do incêndio.

“Possivelmente ela poderia estar com algum fósforo ou isqueiro ou até alguma substância inflamável, como álcool, considerando-se que agora em virtude de pandemia, eu não tenho essa informação ainda, vai ser levantado se as detentas tinham acesso a álcool em gel, álcool isopropílico, mas possivelmente tenha sido a substância utilizada para atear fogo sim”, disse o delegado regional, Cristiano Almeida.

Flaviane de Paula Correia, de 23 anos, ateou fogo em uma barricada de colchões na ala feminina da penitenciaria. Ela foi socorrida, mas não resistiu aos ferimentos após ter 80% do corpo queimado.

Polícia investiga se detenta que morreu em penitenciária teve acesso a álcool em gel em MG — Foto: Reprodução EPTV

Foto: Reprodução

Três detentas tiveram que ficar em observação, mas foram liberadas pelos médicos ainda durante a tarde.

“Com intoxicação por inalar muita fumaça, mas após o tratamento e oxigenoterapia, regrediram e foram liberados todos bem”, disse o presidente da Fundação Hospitalar São Sebastião, José Pereira.

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública informou que abriu um procedimento interno e que a unidade segue com a rotina normalmente.

Outras 11 detentas e cinco funcionários tiveram que ser atendidos na Penitenciária de Três Corações — Foto: Reprodução EPTV

Foto: Reprodução