SP havia ameaçado chamar a polícia por venda de botijões – A Gazeta