Conselho do Ministério Público nega recurso de Flávio Bolsonaro contra inquérito eleitoral

O Conselho Institucional do Ministério Público Federal rejeitou nesta quarta-feira (11), por unanimidade, um recurso apresentado pela defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro.

Os advogados recorreram da decisão do próprio Ministério Público, que manteve o inquérito eleitoral sobre suposta falsidade ideológica por parte de Flavio em 2014.

Com a decisão desta quarta-feira, a investigação terá prosseguimento, e um novo promotor será indicado para o caso.

Procurada, a assessoria de Flavio Bolsonaro enviou a seguinte nota: “A defesa do Senador Flávio Bolsonaro esclarece que a decisão do Conselho Institucional do MPF apenas confirmou que os autos serão remetidos a outro Promotor Eleitoral para que ele decida sobre o destino do inquérito”.

Flávio Bolsonaro é investigado por suposta falsidade ideológica eleitoral por ter omitido bens e ter apresentado valores diferentes sobre um mesmo imóvel em declarações entregues à Justiça Eleitoral em 2014 e em 2016.

Entenda o caso

O Ministério Público Eleitoral pediu a abertura do inquérito, mas, no fim de maio, o promotor do caso, Alexandre Themístocles, requisitou o arquivamento.

O juiz responsável pelo inquérito, Flávio Itabaiana, no entanto, discordou do pedido do MP, e o caso foi para análise da 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, em Brasília.

Em agosto, a 2ª Câmara decidiu que as investigações na Justiça Eleitoral deveriam continuar. No entendimento dos procuradores, faltaram diligências a serem feitas para verificar se houve omissão eventual de outros bens do senador.

A 2ª Câmara decidiu também que o procurador regional eleitoral no Rio de Janeiro deveria indicar um novo promotor para o inquérito em razão de o anterior já ter se posicionado pelo arquivamento.

A defesa de Flávio, então, recorreu ao Conselho Institucional do MPF, que tem a função de decidir sobre conflitos de atribuições entre as Câmaras.

A decisão do Conselho Institucional

Na sessão desta quarta, o advogado de Flavio Bolsonaro, Rodrigo Roca, pediu que os conselheiros decidissem não sobre o prosseguimento da investigação, mas sobre o mérito das provas.

“O que nos parece é não se deveria decidir sobre se a investigação vai ou não ser concluída, mas, talvez, sobre o acerto ou desacerto sobre a valoração dos indícios angariados os autos e se eles estariam aptos a ensejar uma ação penal”, disse o advogado.

A relatora do caso, procuradora Maria Iraneide Olinda Santoro Facchini, votou contra o recurso. Ela disse ver indícios de crime e a necessidade de prosseguir com a apuração.

Maria Iraneide ressaltou, porém, que não entrou no mérito para analisar se houve fato delituoso.

“A defesa não trouxe aos autos documentos para deixar mais clara a situação. Meu voto é para prosseguir para que venham mais elementos, terá mais condições de solicitar arquivamento ou promover ação. Não entro no mérito do delito, se há fato delituoso. Vejo indícios e vejo essa necessidade de prosseguir”, afirmou.

Todos os demais procuradores seguiram o voto dela.

Investigação

A investigação começou com a denúncia de um advogado sobre valores pagos e declarados por Flávio, relacionados a imóveis no Rio de Janeiro.

A Polícia Federal abriu inquérito e não encontrou indícios de crime. Na Justiça Eleitoral, o promotor responsável pediu o arquivamento.

O juiz eleitoral do inquérito, Flávio Itabaiana, discordou da conclusão, e o caso foi para o Ministério Público Federal, em Brasília.

Compra de imóvel na Zona Sul

O imóvel alvo do inquérito é uma cobertura que fica no bairro de Laranjeiras, na Zona Sul do Rio. O apartamento foi adquirido pelo senador e sua esposa, Fernanda. Na declaração de bens em 2014, Flávio afirma que o imóvel foi comprado à época pelo valor total de R$ 565 mil.

Já em 2016, o senador declarou somente o valor da sua metade do imóvel, R$ 423 mil.

Mas documentos da acusação mostram que o valor total da cobertura é de R$ 1,7 milhão. O inquérito foi aberto em fevereiro de 2018.

Esse foi o terceiro pedido de arquivamento em 2 anos.

Senador Flavio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, em imagem no Palácio do Planalto — Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
 Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Por Fernanda Calgaro e Luiz Felipe Barbiéri

We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. We also share information about your use of our site with our social media, advertising and analytics partners. View more
Cookies settings
Accept
Privacy & Cookie policy
Privacy & Cookies policy
Cookie name Active

Who we are

Our website address is: http://agazetarm.com.br.

What personal data we collect and why we collect it

Comments

When visitors leave comments on the site we collect the data shown in the comments form, and also the visitor’s IP address and browser user agent string to help spam detection.

An anonymized string created from your email address (also called a hash) may be provided to the Gravatar service to see if you are using it. The Gravatar service privacy policy is available here: https://automattic.com/privacy/. After approval of your comment, your profile picture is visible to the public in the context of your comment.

Media

If you upload images to the website, you should avoid uploading images with embedded location data (EXIF GPS) included. Visitors to the website can download and extract any location data from images on the website.

Contact forms

Cookies

If you leave a comment on our site you may opt-in to saving your name, email address and website in cookies. These are for your convenience so that you do not have to fill in your details again when you leave another comment. These cookies will last for one year.

If you visit our login page, we will set a temporary cookie to determine if your browser accepts cookies. This cookie contains no personal data and is discarded when you close your browser.

When you log in, we will also set up several cookies to save your login information and your screen display choices. Login cookies last for two days, and screen options cookies last for a year. If you select "Remember Me", your login will persist for two weeks. If you log out of your account, the login cookies will be removed.

If you edit or publish an article, an additional cookie will be saved in your browser. This cookie includes no personal data and simply indicates the post ID of the article you just edited. It expires after 1 day.

Embedded content from other websites

Articles on this site may include embedded content (e.g. videos, images, articles, etc.). Embedded content from other websites behaves in the exact same way as if the visitor has visited the other website.

These websites may collect data about you, use cookies, embed additional third-party tracking, and monitor your interaction with that embedded content, including tracking your interaction with the embedded content if you have an account and are logged in to that website.

Analytics

Who we share your data with

How long we retain your data

If you leave a comment, the comment and its metadata are retained indefinitely. This is so we can recognize and approve any follow-up comments automatically instead of holding them in a moderation queue.

For users that register on our website (if any), we also store the personal information they provide in their user profile. All users can see, edit, or delete their personal information at any time (except they cannot change their username). Website administrators can also see and edit that information.

What rights you have over your data

If you have an account on this site, or have left comments, you can request to receive an exported file of the personal data we hold about you, including any data you have provided to us. You can also request that we erase any personal data we hold about you. This does not include any data we are obliged to keep for administrative, legal, or security purposes.

Where we send your data

Visitor comments may be checked through an automated spam detection service.

Your contact information

Additional information

How we protect your data

What data breach procedures we have in place

What third parties we receive data from

What automated decision making and/or profiling we do with user data

Industry regulatory disclosure requirements

Save settings
Cookies settings