Governo está ‘desesperado’ pelo comando da Câmara para avançar pauta de costumes, diz Maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira (9) que o governo Jair Bolsonaro está “desesperado” para eleger um aliado para a presidência da Casa. O objetivo, segundo Maia, seria avançar pautas de costumes e “desorganizar” a agenda do meio ambiente.

“O governo está desesperado para tomar conta da presidência da Câmara dos Deputados. O governo está desesperado para desorganizar de uma vez por todas a agenda do meio ambiente neste país”, declarou.

“O governo está, de uma vez por todas, interessado em flexibilizar a venda e a entrega de armas neste país, entre outras agendas que desrespeitam a sociedade brasileira e as minorias. Infelizmente, pouca prioridade naquilo que é fundamental”, prosseguiu Maia em entrevista à imprensa ao chegar à Câmara.

O líder do PP e do Centrão na Câmara, Arthur Lira (PP-AL), tem o apoio do Palácio do Planalto. No outro campo, está o grupo aliado de Maia, que ainda não definiu qual será seu candidato – há pelo menos cinco nomes cotados.

Maia ressaltou nesta quarta que, no seu período à frente da Câmara, não pautou nenhum projeto de costumes – por não concordar com eles e por acreditar que sejam matérias que dividem a sociedade e “atropelam” as minorias.

“Cada um vai defender um caminho. Hoje, eu vi na imprensa que o candidato do Bolsonaro defende votação dos projetos de costumes. Eu discordo, tanto discordo que não pautei e tenho certeza que o meu candidato terá um compromisso muito maior no campo da agenda econômica do que no enfrentamento de uma pauta de dividir a sociedade e de atropelar as minorias. Cada um tem um caminho. O caminho do governo, certamente, será esse”, disse.

A eleição para a escolha de quem irá presidir a Câmara no próximo biênio está marcada para o início de fevereiro. No entanto, os partidos já vêm se articulando nos bastidores. No domingo (6), o Supremo Tribunal Federal (STF) formou placar de 6 votos a 5 para barrar a reeleição de Rodrigo Maia.

Na entrevista desta quarta, Maia mostrou intenção de se distanciar da pauta do Planalto e atrair, para o seu grupo, o apoio de partidos de oposição com quem tem conversado.

“Eu defendo outra pauta. Defendo a pauta da modernização do Estado brasileiro, da redução das desigualdades, da redução do desemprego, da redução da pobreza e isso se faz com uma agenda econômica que modernize o estado brasileiro e que garanta maior competitividade para o setor privado. É o que eu acredito. E, claro, a defesa das pessoas mais vulneráveis”, disse.

Comando da pauta

O atual presidente da Câmara ponderou que os dois principais grupos que disputam o comando da casa legislativa defendem a mesma agenda liberal na área econômica, que é também a do governo.

E disse que, portanto, o interesse do Palácio do Planalto em interferir no pleito seria para avançar nas pautas de costumes e armamentista.

“Se todos os candidatos colocados defendem a pauta econômica, para que que o governo quer interferir no processo? Porque ele quer as outras pautas, ele quer a pauta contra o meio ambiente. Ele quer a pauta das armas. Ele quer essas pautas que ele defende, de forma legítima, defendeu na eleição, e que precisa de um presidente da Câmara patrocinado por ele para que ele possa avançar nessas pautas”, afirmou Maia.

Sobre o movimento nos bastidores do Planalto de condicionar a liberação do pagamento de emendas ao voto em Arthur Lira, conforme noticiado pelo jornal “Folha de S.Paulo”, Maia questionou a estratégia do governo.

O presidente da Câmara reafirmou que a destinação dos recursos do Orçamento para emendas indicadas pelos parlamentares é de caráter obrigatório e que as verbas precisarão ser liberadas de qualquer forma.

Maia ponderou ainda que uma parte do parlamento, embora defenda a mesma agenda econômica do governo, é independente – e disse que o governo terá que lidar com esses parlamentares.

“O que eu penso é que dor de barriga não dá uma vez só. Tem o dia de amanhã. O governo tem, na agenda econômica, uma parte do parlamento. E a outra parte do parlamento que defende a pauta econômica é independente do governo. Dependendo de como o governo operar a eleição, ele pode transformar a oposição ao governo de 130 para 230 deputados”, disse.

“Por exemplo, o governo é que tem que fazer escolhas: se, no período pós-eleição da Câmara, pretende continuar avançando em votações com quórum qualificado. Então, toda ação vai ter uma reação”, prosseguiu.

Por Fernanda Calgaro

We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. We also share information about your use of our site with our social media, advertising and analytics partners. View more
Cookies settings
Accept
Privacy & Cookie policy
Privacy & Cookies policy
Cookie name Active

Who we are

Our website address is: http://agazetarm.com.br.

What personal data we collect and why we collect it

Comments

When visitors leave comments on the site we collect the data shown in the comments form, and also the visitor’s IP address and browser user agent string to help spam detection.

An anonymized string created from your email address (also called a hash) may be provided to the Gravatar service to see if you are using it. The Gravatar service privacy policy is available here: https://automattic.com/privacy/. After approval of your comment, your profile picture is visible to the public in the context of your comment.

Media

If you upload images to the website, you should avoid uploading images with embedded location data (EXIF GPS) included. Visitors to the website can download and extract any location data from images on the website.

Contact forms

Cookies

If you leave a comment on our site you may opt-in to saving your name, email address and website in cookies. These are for your convenience so that you do not have to fill in your details again when you leave another comment. These cookies will last for one year.

If you visit our login page, we will set a temporary cookie to determine if your browser accepts cookies. This cookie contains no personal data and is discarded when you close your browser.

When you log in, we will also set up several cookies to save your login information and your screen display choices. Login cookies last for two days, and screen options cookies last for a year. If you select "Remember Me", your login will persist for two weeks. If you log out of your account, the login cookies will be removed.

If you edit or publish an article, an additional cookie will be saved in your browser. This cookie includes no personal data and simply indicates the post ID of the article you just edited. It expires after 1 day.

Embedded content from other websites

Articles on this site may include embedded content (e.g. videos, images, articles, etc.). Embedded content from other websites behaves in the exact same way as if the visitor has visited the other website.

These websites may collect data about you, use cookies, embed additional third-party tracking, and monitor your interaction with that embedded content, including tracking your interaction with the embedded content if you have an account and are logged in to that website.

Analytics

Who we share your data with

How long we retain your data

If you leave a comment, the comment and its metadata are retained indefinitely. This is so we can recognize and approve any follow-up comments automatically instead of holding them in a moderation queue.

For users that register on our website (if any), we also store the personal information they provide in their user profile. All users can see, edit, or delete their personal information at any time (except they cannot change their username). Website administrators can also see and edit that information.

What rights you have over your data

If you have an account on this site, or have left comments, you can request to receive an exported file of the personal data we hold about you, including any data you have provided to us. You can also request that we erase any personal data we hold about you. This does not include any data we are obliged to keep for administrative, legal, or security purposes.

Where we send your data

Visitor comments may be checked through an automated spam detection service.

Your contact information

Additional information

How we protect your data

What data breach procedures we have in place

What third parties we receive data from

What automated decision making and/or profiling we do with user data

Industry regulatory disclosure requirements

Save settings
Cookies settings