Maia afirma que conduta de Eduardo Pazuello é criminosa

Tratamento precoce e não resposta a Pfizer são citados como crimes supostamente cometidos pelo ministro da Saúde

Na imagem, Rodrigo Maia durante sessão
MARYANNA OLIVEIRA/CÂMARA DOS DEPUTADOS 17.122020

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou, nesta segunda-feira (25), ser criminosa a conduta do ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, diante da pandemia da covid-19.

“Eu tenho defendido a CPI da Saúde, porque se nós tivéssemos a prerrogativa, por exemplo, de impedimento de ministro, que não é nossa prerrogativa. A nossa prerrogativa de impedimento de ministro é só conectada ao presidente da República. Mas em relação ao ministro da Saúde não tenho dúvida que já tem crime. Pelo menos o ministro da Saúde já cometeu crime”, afirmou.

“A irresponsabilidade dele de tratamento precoce, a irresponsabilidade de não ter respondido a Pfizer, a irresponsabilidade dele, como ministro da saúde, de não ter se aliado ao Instituto Butantan para acelerar a produção daquela vacina, e não somente a vacina da Fiocruz”, acrescenta.

No último sábado (23), o PGR (Procurador-Geral da República), Augusto Aras, solicitou ao STF (Supremo Tribunal Federal) a abertura de inquérito para apurar a conduta de Pazuello, em relação ao colapso de saúde pública em Manaus (AM), que registrou falta de oxigênio em unidades hospitalares e pacientes, com covid-19, morreram asfixiados.

Em relação à Pfizer, a farmacêutica divulgou, no dia 8, que encaminhou no ano passado três propostas ao governo brasileiro para vender 70 milhões de doses, com previsão de início de entrega em dezembro do ano passado. Cerca de 25 dias depois, o Ministério da Saúde afirmou que a oferta de vacinas incluía cláusulas abusivas e que causaria frustração à população, em razão da pequena quantidade. Segundo o governo, as doses iniciais oferecidas ao Brasil seriam mais uma “conquista de marketing”.

A reportagem questionou o Ministério da Saúde sobre o episódio, mas a pasta afirmou que não irá comentar.

Eleição
A eleição para a presidência da Câmara dos Deputados irá ocorrer em 1º de fevereiro. Os dois principais candidatos – Arthur Lira (PP-AL), apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e Baleia Rossi (MDB-SP), nome do bloco de Maia – têm intensificado a articulação política em torno de suas candidaturas e apostado nas traições de parlamentares, uma vez que o pleito é secreto. 

Com a formalização da adesão do PSL na candidatura de Lira, o nome apoiado por Bolsonaro conquistou número maior de políticos que seu principal opositor. Na coletiva de imprensa, Maia negou que Rossi esteja “perdendo”. 

“Nossas convicções caminham para o segundo turno e vamos ter uma margem grande, no segundo turno, e teremos maioria dos votos. A partir de hoje, pelas nossas projeções, o Baleia passa a ser o favorito. Na casa dos 230 votos, com Arthur caindo pra abaixo de 200”, disse. 

Maia voltou a criticar o sistema presencial para a eleição. No último dia 18, a Mesa Diretora decidiu que o pleito será em pessoa, inclusive para parlamentares do grupo de risco à covid-19. “Eu continuo afirmando que os deputados, pelo menos os parlamentares que estão no grupo de risco, de tentar fazer um movimento junto líderes partidários para mostrar que essa é uma decisão que não parece a mais adequada”, disse.

O presidente da Câmara considera que, se mudasse alguma regra da eleição, seria impossível a realização de um sisema híbrido. “Até porque a Câmara não pode por suposição à secretária-geral preparar um sistema diferente daquele aprovado pela Mesa, e teríamos um tempo muito curto, não sei se teríamos condição no dia 1º ter um sistema híbrido.”

Por Plínio Aguiar

We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. We also share information about your use of our site with our social media, advertising and analytics partners. View more
Cookies settings
Accept
Privacy & Cookie policy
Privacy & Cookies policy
Cookie name Active

Who we are

Our website address is: http://agazetarm.com.br.

What personal data we collect and why we collect it

Comments

When visitors leave comments on the site we collect the data shown in the comments form, and also the visitor’s IP address and browser user agent string to help spam detection.

An anonymized string created from your email address (also called a hash) may be provided to the Gravatar service to see if you are using it. The Gravatar service privacy policy is available here: https://automattic.com/privacy/. After approval of your comment, your profile picture is visible to the public in the context of your comment.

Media

If you upload images to the website, you should avoid uploading images with embedded location data (EXIF GPS) included. Visitors to the website can download and extract any location data from images on the website.

Contact forms

Cookies

If you leave a comment on our site you may opt-in to saving your name, email address and website in cookies. These are for your convenience so that you do not have to fill in your details again when you leave another comment. These cookies will last for one year.

If you visit our login page, we will set a temporary cookie to determine if your browser accepts cookies. This cookie contains no personal data and is discarded when you close your browser.

When you log in, we will also set up several cookies to save your login information and your screen display choices. Login cookies last for two days, and screen options cookies last for a year. If you select "Remember Me", your login will persist for two weeks. If you log out of your account, the login cookies will be removed.

If you edit or publish an article, an additional cookie will be saved in your browser. This cookie includes no personal data and simply indicates the post ID of the article you just edited. It expires after 1 day.

Embedded content from other websites

Articles on this site may include embedded content (e.g. videos, images, articles, etc.). Embedded content from other websites behaves in the exact same way as if the visitor has visited the other website.

These websites may collect data about you, use cookies, embed additional third-party tracking, and monitor your interaction with that embedded content, including tracking your interaction with the embedded content if you have an account and are logged in to that website.

Analytics

Who we share your data with

How long we retain your data

If you leave a comment, the comment and its metadata are retained indefinitely. This is so we can recognize and approve any follow-up comments automatically instead of holding them in a moderation queue.

For users that register on our website (if any), we also store the personal information they provide in their user profile. All users can see, edit, or delete their personal information at any time (except they cannot change their username). Website administrators can also see and edit that information.

What rights you have over your data

If you have an account on this site, or have left comments, you can request to receive an exported file of the personal data we hold about you, including any data you have provided to us. You can also request that we erase any personal data we hold about you. This does not include any data we are obliged to keep for administrative, legal, or security purposes.

Where we send your data

Visitor comments may be checked through an automated spam detection service.

Your contact information

Additional information

How we protect your data

What data breach procedures we have in place

What third parties we receive data from

What automated decision making and/or profiling we do with user data

Industry regulatory disclosure requirements

Save settings
Cookies settings