Pirâmide de São Tomé das Letras é colocada à venda e causa revolta de moradores em MG

A famosa pirâmide do parque Antônio Rosa, em São Tomé das Letras (MG), foi colocada à venda na manhã desta quarta-feira (3). O fato causou polêmica entre os moradores, que não gostaram nada da notícia.

Apesar de ser um dos principais pontos turísticos da cidade, a pirâmide está em uma área particular dentro do parque, que tem 111 hectares e é de propriedade do município. Ela é tombada como Patrimônio Paisagístico da cidade.

Mesmo que alguém compre a pirâmide, projetos particulares de exploração terão que ser submetidos ao Conselho Municipal do Patrimônio Cultural e Artístico de São Tomé das Letras. Atualmente existem duas leis orgânicas no município que preservam os pontos turísticos. Hoje o acesso à pirâmide é irrestrito.

A pirâmide foi anunciada no site e nas redes sociais de uma imobiliária por R$ 1,2 milhão. O G1 tentou contato com o proprietário, que não quis falar sobre o assunto e afirmou que as tratativas devem ser feitas com a imobiliária.

A prefeitura disse que há algum tempo já tenta negociar o local com o proprietário, mas sem sucesso. Afirmou também que pretende pagar o valor pedido pelo proprietário.

A pirâmide começou a ser construída em 1978 e ficou pronta na década de 1980. Ela pertence a uma pessoa do estado de São Paulo, que agora quer vender o ponto turístico e a área entorno, que tem cinco mil metros quadrados.

Moradores revoltados

Revoltados, moradores foram até o local na manhã desta quinta-feira (4) e se manifestaram com faixas e cartazes. Eles pedem para que o local seja desapropriado pela prefeitura.

“Em primeiro lugar, a pirâmide é um patrimônio público, digamos assim, embora ela seja de propriedade particular, ela está dentro de uma área tombada, uma área ambiental, então essa é a nossa grande surpresa, de se colocar à venda um ponto turístico da cidade”, disse Cheila Seixas, membro da Associação da Sociedade Civil de São Tomé das Letras.

“O que a gente espera é uma desapropriação por parte da prefeitura, que não significa que vai ser tomada do proprietário, mas que vá ser feita uma venda forçosa e que se essa venda representa a retomada, e que se tiver que ter alguma exploração ou algo, que isso seja revertido para a população e que não seja mais uma exploração capitalista, o que a gente espera é isso”, completou Cheila.

Moradores protestam por venda da pirâmide, principal ponto turístico de São Tomé das Letras — Foto: Reprodução EPTV
Foto: Reprodução

O que diz a prefeitura

Em 2018, a prefeitura tentou uma negociação para adquirir a pirâmide definitivamente, mas a tratativa fracassou.

Em nova divulgada nas redes sociais nesta quinta-feira (4), o prefeito de São Tomé das Letras, Tomé Reis Alvarenga, disse que a prefeitura tem tentado negociar com o proprietário a compra do imóvel pelo Poder Público há algum tempo.

O prefeito afirmou ainda que o dono possui escritura, mas que é de interesse do município adquiri-la. Conforme apurado pela equipe pela reportagem o valor que a prefeitura pretende pagar pela área é de R$ 1,2 milhão, o mesmo pedido pelo proprietário.

Ainda conforme a prefeitura, uma reunião com o proprietário está marcada para a próxima segunda-feira (8).

Além do interesse em comprar a pirâmide, outra opção da prefeitura seria de desapropriar o local. Desapropriação é o procedimento de direito público pelo qual o Poder Público transfere para si a propriedade de terceiro, por razões de utilidade pública ou de interesse social, normalmente mediante o pagamento de indenização. Questionada a prefeitura sobre o assunto, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

Pirâmide de São Tomé das Letras é colocada à venda e causa revolta de moradores em MG
Foto: Régis Melo
We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. We also share information about your use of our site with our social media, advertising and analytics partners. View more
Cookies settings
Accept
Privacy & Cookie policy
Privacy & Cookies policy
Cookie name Active

Who we are

Our website address is: http://agazetarm.com.br.

What personal data we collect and why we collect it

Comments

When visitors leave comments on the site we collect the data shown in the comments form, and also the visitor’s IP address and browser user agent string to help spam detection.

An anonymized string created from your email address (also called a hash) may be provided to the Gravatar service to see if you are using it. The Gravatar service privacy policy is available here: https://automattic.com/privacy/. After approval of your comment, your profile picture is visible to the public in the context of your comment.

Media

If you upload images to the website, you should avoid uploading images with embedded location data (EXIF GPS) included. Visitors to the website can download and extract any location data from images on the website.

Contact forms

Cookies

If you leave a comment on our site you may opt-in to saving your name, email address and website in cookies. These are for your convenience so that you do not have to fill in your details again when you leave another comment. These cookies will last for one year.

If you visit our login page, we will set a temporary cookie to determine if your browser accepts cookies. This cookie contains no personal data and is discarded when you close your browser.

When you log in, we will also set up several cookies to save your login information and your screen display choices. Login cookies last for two days, and screen options cookies last for a year. If you select "Remember Me", your login will persist for two weeks. If you log out of your account, the login cookies will be removed.

If you edit or publish an article, an additional cookie will be saved in your browser. This cookie includes no personal data and simply indicates the post ID of the article you just edited. It expires after 1 day.

Embedded content from other websites

Articles on this site may include embedded content (e.g. videos, images, articles, etc.). Embedded content from other websites behaves in the exact same way as if the visitor has visited the other website.

These websites may collect data about you, use cookies, embed additional third-party tracking, and monitor your interaction with that embedded content, including tracking your interaction with the embedded content if you have an account and are logged in to that website.

Analytics

Who we share your data with

How long we retain your data

If you leave a comment, the comment and its metadata are retained indefinitely. This is so we can recognize and approve any follow-up comments automatically instead of holding them in a moderation queue.

For users that register on our website (if any), we also store the personal information they provide in their user profile. All users can see, edit, or delete their personal information at any time (except they cannot change their username). Website administrators can also see and edit that information.

What rights you have over your data

If you have an account on this site, or have left comments, you can request to receive an exported file of the personal data we hold about you, including any data you have provided to us. You can also request that we erase any personal data we hold about you. This does not include any data we are obliged to keep for administrative, legal, or security purposes.

Where we send your data

Visitor comments may be checked through an automated spam detection service.

Your contact information

Additional information

How we protect your data

What data breach procedures we have in place

What third parties we receive data from

What automated decision making and/or profiling we do with user data

Industry regulatory disclosure requirements

Save settings
Cookies settings