Prefeito de Alfenas, MG polemiza ao chamar Bolsonaro de psicopata e fazer analogia ao autismo

O prefeito de Alfenas (MG), Luis Antonio da Silva, do PT, provocou uma polêmica durante uma entrevista a uma rádio comunitária da cidade ao relacionar características de um psicopata a de pessoas autistas. A analogia foi feita durante uma crítica ao presidente Jair Bolsonaro. O discurso causou revolta nas redes sociais.

A entrevista foi no dia 23 de janeiro. O prefeito de Alfenas fazia críticas ao governo federal ao abordar o tema da vacinação contra a Covid-19. Ele disse que o presidente Bolsonaro mostra traços de psicopatia. Em seguida, comparou características de um psicopata com pessoas autistas.

“Ele é psicopata, não tem sentimento para com o outro. O autista tem um auto-mundo. Ele pode ver o outro sofrer que não sente nada. Então ele tem sinais claros de autismo, claros. O autismo tem um espectro grande. Ele está no meio ali, no espectro autismo. O autismo é aquele que não tem sentimento para com o outro”, disse o prefeito.

A declaração repercutiu nas redes sociais e foi reprovada até mesmo por especialistas.

“Para nós da comunidade científica, é mais do que evidente que as pessoas com autismo têm sentimentos, é que nós precisamos conhecer mais para não disseminar. Por último, precisa ficar claro aos nossos políticos e influentes, que o termo autista não é um adjetivo, nem uma terminologia para ofensa a adversários”, disse a coordenadora do Laboratório de Pesquisas em Aprendizagem e Inclusão, Silvia Ester Orru, da Universidade de Brasília (UNB) e colaboradora da Unifal em Poços de Caldas.

Prefeito de Alfenas (à direita) causou revolta ao criticar Bolsonaro e fazer analogia entre psicopatia e autismo — Foto: Reprodução EPTV

A terapeuta capilar Karina Oliveira, é mãe do Leonardo, de 15 anos, que é autista. A descoberta veio quando o filho tinha apenas 1 ano de idade. A declaração do prefeito também pegou ela de surpresa.

“Foi extremamente desagradável para nós todos, todos que têm algum familiar não só como o autismo, mas algum tipo de transtorno, de síndromes, do leve ao mais grave, realmente isso deixa a gente muito chateada, porque para cada autista é um autismo e você se posicionar a respeito sem saber o que acontece, é muito complicado. Inúmeras vezes você pode até ter tido contato com um autista e não sabe, você pode ter conversado com um e não tem ideia de que você estava em contato com um autista, então é muito complicado você emitir um ponto de vista sem ter a noção do que você está falando”, disse a terapeuta.

A entrevista do prefeito causou indignação inclusive em famosos. O apresentador Marcos Mion, pai de um filho autista, foi para as redes contestar a fala do prefeito.

“A forma de expressar é diferente, às vezes nem sempre, você vai falar, seo Luiz Antônio, que meu filho não consegue identificar sentimentos? Você já acompanhou ele, já viu os vídeos dele? Sabe quantas vezes ele me vê chateado e a primeira coisa que ele faz é vir me abraçar, vir dividir carinho comigo? Não só ele, milhões de autistas são assim, todos os autistas são assim, porque os sentimentos de uma pessoa neurodiversa são os mesmos que uma pessoa neurotípica, a forma de comunicar é diferente, o autismo é uma maneira diferente de funcionar, mas os sentimentos, somos todos seres humanos, são os mesmos”, disse o apresentador.

Apresentador Marcos Mion constestou a fala do prefeito sobre o autismo nas redes sociais — Foto: Reprodução EPTV

“Você comparar o autista a uma pessoa psicopata, eu acho que o psicopata é aquele que não tem interesse nem em saber, o Leonardo no mínimo ele identifica, ele se comove, ele demonstra, do jeito dele, não só o meu Leonardo, mas outros “Leonardos” entre aspas por aí, ele expressa o amor na medida que ele acredita que as pessoas precisam receber”, completou a terapeuta Karina.

Em entrevista o prefeito reconheceu o erro, disse que foi uma colocação errada das palavras e pediu desculpas.

“Essa frase infeliz não condiz com o meu pensamento, peço desculpas, perdão à comunidade e assumo um compromisso aqui de ampliar ainda mais as nossas ações de inclusão, essa frase foi infeliz e não é absolutamente o que eu penso sobre o tema”, disse o prefeito.