Após liberação em São José dos Campos e Aparecida, Taubaté, Cruzeiro e Ubatuba, SP tentam fase laranja na Justiça

Após as cidades de São José dos Campos e Aparecida conseguirem a manutenção da fase laranja do Plano SP no judiciário, Taubaté, Cruzeiro e Ubatuba também miram na flexibilização por meios jurídicos.

A medida vai na contramão da recomendação do governo estadual, que prevê todas as cidades de todas as regiões paulistas na etapa mais rígida do planejamento.

Em São José, o resultado esperado pelo prefeito Felicio Ramuth (PSDB) veio na sexta-feira (5) em segunda instância, no TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo.

Antes disso, na quinta-feira (4), o pedido havia sido negado em primeira instância sob a justificativa de que a competência era estadual. Já em Aparecida, a decisão foi no domingo (7), durante o plantão judiciário, ainda em primeira instância.

A principal justificativa dos prefeitos é a de que os indicadores locais são distintos dos preconizados pelo próprio governo estadual para que uma localidade seja submetida à fase vermelha, já que o cenário da pandemia na RMVale não seria tão grave quanto em outras regiões do estado.

Para a Codivap (Associação de Municípios do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira), é necessário uma decisão coletiva, já que as cidades são interligadas.

Uma reunião com a associação e prefeitos da região acontece no fim da tarde dessa segunda-feira.”Nosso papel é promover o diálogo e estamos atrás de um consenso, entendendo que não dá para um município ter uma classificação e outros tão proximamente ligados com uma outra classificação”, diz nota.CIDADES.

Em Taubaté, a prefeitura informou, até às 11h40, que ainda não havia ingressado com a ação. A manifestação de que recorreria ao judiciário nesta segunda-feira foi feita pelo prefeito José Saud (MDB), logo após a decisão de São José.

Cruzeiro não conseguiu a decisão para que se mantivesse na fase laranja em primeira instância e agora tenta um novo resultado pelo TJ. Já em Ubatuba, a prefeitura foi até o Palácio dos Bandeirantes pedir pela reclassificação nessa segunda-feira (8) e, ao mesmo tempo, promete o ingresso na Justiça.

JUSTIÇA.

O professor de Direito Sérgio Reginaldo Bacha, da Univap (Universidade do Vale do Paraíba), destacou que a decisão que beneficia São José é de caráter provisório. Logo, o entendimentos dos outros dois desembargadores que integram a turma ainda pode influenciar no curso da fase adotada no município.

“É uma decisão precária, que a depender do que vai decidir o pleno dessa turma, que são três desembargadores, os demais municípios podem se beneficiar sim. Como também, automaticamente, a turma depois que julgar pode estender os efeitos da decisão aos municípios que apresentarem a documentação devidamente provada que tem menos de 75% de ocupação de leitos de UTI”, disse.

Para o advogado Gustavo Locatelli, a decisão obtida por São José no TJ não chega a abrir uma brecha jurídica, mas acaba orientando outros municípios a tentarem a mesma medida.

“Entendo que ela sirva de norte, de caminho para outras prefeituras ajuizarem também os seus mandados de segurança. Não abre uma brecha jurídica e nem um precedente porque existe no Código de Processo Civil e no direito processual brasileiro a livre apreciação de prova pelo juiz, que é o livre convencimento”, explicou.

“O que depende de êxito para outras prefeituras é a prova de que o sistema de saúde pública deles esteja dentro dos parâmetros exigidos pelo governo do Estado como fase amarela, fase laranja ou mesmo a fase verde”, continuou.

O governo do Estado de SP já confirmou que a Procuradoria-Geral recorre da decisão.

We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. We also share information about your use of our site with our social media, advertising and analytics partners. View more
Cookies settings
Accept
Privacy & Cookie policy
Privacy & Cookies policy
Cookie name Active

Who we are

Our website address is: http://agazetarm.com.br.

What personal data we collect and why we collect it

Comments

When visitors leave comments on the site we collect the data shown in the comments form, and also the visitor’s IP address and browser user agent string to help spam detection.

An anonymized string created from your email address (also called a hash) may be provided to the Gravatar service to see if you are using it. The Gravatar service privacy policy is available here: https://automattic.com/privacy/. After approval of your comment, your profile picture is visible to the public in the context of your comment.

Media

If you upload images to the website, you should avoid uploading images with embedded location data (EXIF GPS) included. Visitors to the website can download and extract any location data from images on the website.

Contact forms

Cookies

If you leave a comment on our site you may opt-in to saving your name, email address and website in cookies. These are for your convenience so that you do not have to fill in your details again when you leave another comment. These cookies will last for one year.

If you visit our login page, we will set a temporary cookie to determine if your browser accepts cookies. This cookie contains no personal data and is discarded when you close your browser.

When you log in, we will also set up several cookies to save your login information and your screen display choices. Login cookies last for two days, and screen options cookies last for a year. If you select "Remember Me", your login will persist for two weeks. If you log out of your account, the login cookies will be removed.

If you edit or publish an article, an additional cookie will be saved in your browser. This cookie includes no personal data and simply indicates the post ID of the article you just edited. It expires after 1 day.

Embedded content from other websites

Articles on this site may include embedded content (e.g. videos, images, articles, etc.). Embedded content from other websites behaves in the exact same way as if the visitor has visited the other website.

These websites may collect data about you, use cookies, embed additional third-party tracking, and monitor your interaction with that embedded content, including tracking your interaction with the embedded content if you have an account and are logged in to that website.

Analytics

Who we share your data with

How long we retain your data

If you leave a comment, the comment and its metadata are retained indefinitely. This is so we can recognize and approve any follow-up comments automatically instead of holding them in a moderation queue.

For users that register on our website (if any), we also store the personal information they provide in their user profile. All users can see, edit, or delete their personal information at any time (except they cannot change their username). Website administrators can also see and edit that information.

What rights you have over your data

If you have an account on this site, or have left comments, you can request to receive an exported file of the personal data we hold about you, including any data you have provided to us. You can also request that we erase any personal data we hold about you. This does not include any data we are obliged to keep for administrative, legal, or security purposes.

Where we send your data

Visitor comments may be checked through an automated spam detection service.

Your contact information

Additional information

How we protect your data

What data breach procedures we have in place

What third parties we receive data from

What automated decision making and/or profiling we do with user data

Industry regulatory disclosure requirements

Save settings
Cookies settings