Mulheres ainda são minoria na área tecnológica

Lançamento do Programa Mulher, do Sistema Confea/Crea e Mútua, em Minas, busca diminuir essa desigualdade

 A discrepância entre homens e mulheres no meio tecnológico ainda é uma realidade brasileira. Números do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) mostram que menos de 20% dos 981.380 profissionais registrados em todo o Brasil são mulheres. Em Minas, essa realidade não é diferente.

Dos mais de 132 mil profissionais ativos registrados no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG), 19,6% são do sexo feminino, contabilizando pouco mais de 26 mil registros.

Mesmo em quantidade inferior em relação aos homens, houve um avanço no número de mulheres registradas nas diversas modalidades no Crea-MG nos últimos anos. Em 2010, por exemplo, foram 980 novos registros femininos, enquanto que em 2019 esse número saltou para 3.155, um aumento de 222%. A maioria dos registros foi na modalidade de civil, com 2.382, seguido por mecânica e metalúrgica, com 272, e elétrica, com 191.

 Embora seja observada essa progressão, ainda há um longo caminho para diminuir a diferença entre os gêneros. Uma das ações para promover essa igualdade na engenharia, na agronomia e nas geociências é o Programa Mulher, do Sistema Confea/Crea e Mútua. Lançado em 2019, o programa tem como objetivo fomentar a elaboração de políticas de incentivo para a atuação e protagonismo de mulheres dentro das diversas entidades de classe e Regionais. Essa iniciativa também vem com o propósito de atingir o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nº 5 da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

A versão mineira do programa será lançada no próximo dia 04 de março, e terá 21 representantes de instituições de ensino, sindicatos, entidades de classe, poder público, profissionais do Sistema e Crea Jr. “Implantar um programa a nível federal e agora também a nível estadual para olhar para essas mulheres de forma igualitária é um avanço muito grande. Precisamos mostrar para as profissionais que o Sistema se importa com elas”, afirma a engenheira civil Flávia Roxin, que é representante das Coordenadorias Nacionais de Câmaras Especializadas no comitê gestor do Programa Mulher.

Flávia explica que será feito um levantamento detalhado trazendo um trabalho de pesquisa mais amplo, dados estatísticos e mapa da participação feminina, de forma a entender o que acontece com as profissionais desde a sua graduação. “É necessário fazer acontecer, tirar do papel e propor ações práticas que tragam resultados em curto prazo, trabalhar de uma forma que atraia o interesse das profissionais em participar das ações e contribuírem com as mudanças”, garante a engenheira.

No próprio Crea-MG, a representação feminina ainda é bastante tímida. No plenário da casa, as mulheres correspondem a 9,2% do número total de 108 conselheiros. No comando das 64 Inspetorias do Crea, espalhadas por todo o estado, são 10 mulheres como inspetoras-chefes. “Acredito que, por ainda sermos a minoria dentro do Conselho, ao contrário da população brasileira em que as mulheres são maioria, falta um movimento maior para que seja aplicada a igualdade na área tecnológica. As mulheres são tão capazes quanto os homens para fazer o que elas quiserem e trabalhar com o que se dispuserem”, pontua Flávia.

       Para o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges, o Programa Mulher vem reconhecer a importância da presença feminina nos espaços decisórios. “Na nossa gestão, sempre tivemos a participação de mulheres na diretoria. Entendemos a importância dessa participação e, por outro lado, sabemos das dificuldades que elas enfrentam no mercado de trabalho. Então, o Programa Mulher vai potencializar as vozes das profissionais para que elas tenham o devido reconhecimento de sua atuação e contribuição para o desenvolvimento da sociedade”, ressalta Lucio Borges.

We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. We also share information about your use of our site with our social media, advertising and analytics partners. View more
Cookies settings
Accept
Privacy & Cookie policy
Privacy & Cookies policy
Cookie name Active

Who we are

Our website address is: http://agazetarm.com.br.

What personal data we collect and why we collect it

Comments

When visitors leave comments on the site we collect the data shown in the comments form, and also the visitor’s IP address and browser user agent string to help spam detection.

An anonymized string created from your email address (also called a hash) may be provided to the Gravatar service to see if you are using it. The Gravatar service privacy policy is available here: https://automattic.com/privacy/. After approval of your comment, your profile picture is visible to the public in the context of your comment.

Media

If you upload images to the website, you should avoid uploading images with embedded location data (EXIF GPS) included. Visitors to the website can download and extract any location data from images on the website.

Contact forms

Cookies

If you leave a comment on our site you may opt-in to saving your name, email address and website in cookies. These are for your convenience so that you do not have to fill in your details again when you leave another comment. These cookies will last for one year.

If you visit our login page, we will set a temporary cookie to determine if your browser accepts cookies. This cookie contains no personal data and is discarded when you close your browser.

When you log in, we will also set up several cookies to save your login information and your screen display choices. Login cookies last for two days, and screen options cookies last for a year. If you select "Remember Me", your login will persist for two weeks. If you log out of your account, the login cookies will be removed.

If you edit or publish an article, an additional cookie will be saved in your browser. This cookie includes no personal data and simply indicates the post ID of the article you just edited. It expires after 1 day.

Embedded content from other websites

Articles on this site may include embedded content (e.g. videos, images, articles, etc.). Embedded content from other websites behaves in the exact same way as if the visitor has visited the other website.

These websites may collect data about you, use cookies, embed additional third-party tracking, and monitor your interaction with that embedded content, including tracking your interaction with the embedded content if you have an account and are logged in to that website.

Analytics

Who we share your data with

How long we retain your data

If you leave a comment, the comment and its metadata are retained indefinitely. This is so we can recognize and approve any follow-up comments automatically instead of holding them in a moderation queue.

For users that register on our website (if any), we also store the personal information they provide in their user profile. All users can see, edit, or delete their personal information at any time (except they cannot change their username). Website administrators can also see and edit that information.

What rights you have over your data

If you have an account on this site, or have left comments, you can request to receive an exported file of the personal data we hold about you, including any data you have provided to us. You can also request that we erase any personal data we hold about you. This does not include any data we are obliged to keep for administrative, legal, or security purposes.

Where we send your data

Visitor comments may be checked through an automated spam detection service.

Your contact information

Additional information

How we protect your data

What data breach procedures we have in place

What third parties we receive data from

What automated decision making and/or profiling we do with user data

Industry regulatory disclosure requirements

Save settings
Cookies settings