Câmara de São Luiz do Paraitinga, SP abre CPI contra vereador flagrado em festa clandestina

A Câmara de São Luiz do Paraitinga instaurou uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar o caso do vereador Arildo Junior, que teria sido flagrado em uma festa clandestina em meio à pandemia. A comissão foi criada após um morador apresentar um ofício apontando quebra de decoro, por violação ao decreto municipal referente às medidas de contenção da Covid-19.

A comissão conta com os vereadores José Roberto Correa (presidente), Dirceu Diniz Marcolino (redator) e Maria Aparecida dos Santos Brandão (secretária).

No documento apresentado ao Legislativo, o morador apontou que o vereador aparece em vídeos da festa clandestina que circulam nas redes sociais, de maneira em que ele classificou como de mesmo grau de “despreocupação e irresponsabilidade” dos demais participantes.

“Ora, no contexto atual de enfrentamento à pandemia de Coronavírus, onde o país enfrenta há mais de um ano uma guerra inglória contra essa doença virulenta e altamente contagiosa, que tem causado milhares de mortes e prejuízos significativos ao país, ao estado e ao município, causou espanto e indignação no seio da comunidade luizense essa irresponsabilidade desmedida, partindo justamente de quem detém mandato popular e deveria servir de exemplo para os demais”, alega o morador em trecho do texto.

A CPI deve ter duração de 90 dias e, caso comprove queda de decoro, pode terminar em cassação do mandato. A reportagem tenta contato com Arildo Junior desde quinta-feira (15), mas não obteve retorno.

Foto: Divulgação/CMSLP