Central de Custódia de Volta Redonda ganha computadores para identificação civil de presos

Atualmente, 6,5% dos 53 mil presos do Estado do Rio de Janeiro não possuem identificação civil. Para auxiliar na solução do problema, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) doou seis computadores portáteis ao Departamento de Trânsito do Estado do Rio (Detran- RJ).

Os equipamentos serão instalados nas centrais de custódia de Benfica, de Campos dos Goytacazes e de Volta Redonda e irão permitir o cadastro biométrico e a identificação civil dos presos.

Os notebooks foram entregues recentemente pela juíza auxiliar da Corregedoria Geral da Justiça Renata Guarino e pelo juiz Marcelo Oliveira ao vice-presidente do Detran, Leonardo Morais, e ao diretor de Identificação Civil do departamento, Pedro Thompson.

De acordo com o juiz Marcelo Oliveira, a iniciativa segue as recomendações do programa Fazendo Justiça, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que prevê que os detentos tenham acesso aos documentos civis básicos.

“A iniciativa permitirá a primeira construção da cidadania dos internos. A primeira etapa do projeto é impedir que os presos entrem no sistema prisional sem a identificação civil”, explicou o juiz Marcelo Oliveira.

Para o vice-presidente do Detran, Leonardo Morais, a parceria suprime uma deficiência no sistema de registro civil de presos.

“Nós pretendemos que todos os detentos tenham sua cidadania, sua identificação civil. Estamos felizes por participar desse momento e nos colocamos à disposição do Tribunal de Justiça”, declarou.