Doria confirma Hospital Regional para Cruzeiro

Estrutura hospitalar tem investimento de até R$ 130 milhões e deve atender demanda do Vale Histórico e Vale da Fé

O governador João Doria anuncia série de investimentos para região e o HR para Cruzeiro (Foto: Rafaela Lourenço)

Depois de uma semana marcada por polêmicas e as últimas tentativas de prefeitos que ainda sonhavam com o empreendimento, o governador João Dória (PSDB) anunciou a construção do novo Hospital Regional para Cruzeiro. A estrutura terá investimento de R$ 100 milhões e será implantada na área do Recinto de Exposições, que já pertence ao Estado. O anúncio foi feito durante uma coletiva neste sábado (22), com participação de prefeitos e outras autoridades.

Além do hospital, Doria ainda anunciou a construção de uma Fatec na cidade e a privatização do aeroporto de Guaratinguetá.

O tucano lançou ainda o programa “Viva o Vale” com investimentos milionários para a região, como a recuperação e ampliação de vicinais, a construção de uma Fatec em Lorena e a aportes para moradias e saúde, com UBS’s (Unidade Básica de Saúde), entrega de ambulâncias, Poupatempo (Cruzeiro e Lorena) e Bom Prato (Guaratinguetá).

Após o adiamento do evento, que seria realizado no último sábado (15), devido ao agravamento no quadro de saúde do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), falecido no dia seguinte (16), o governo Doria teve agenda apertada durante a semana, com uma série de pedidos e reuniões com foco na sede do HR.

Agora confirmado para Cruzeiro, o novo complexo hospitalar deve atender a demanda do Vale Histórico e Vale da Fé, desafogando os atendimentos em Taubaté e São José dos Campos. Segundo o prefeito de Cruzeiro, Thales Gabriel Fonseca (PSD), os índices de atendimento de saúde do Vale Histórico são os piores do Estado, o que reforça o apelo ao Regional na cidade mais próxima dessa região deficitária.

O governador não confirmou o cronograma, mas a expectativa é para 36 meses de obras e um investimento de aproximadamente R$ 100 milhões, além dos R$ 30 milhões em equipamentos específicos para atendimento a rede pública.

O projeto de Fonseca teve apoio direto das sete cidades do Vale Histórico: Lavrinhas, Silveiras, Queluz, Bananal, Arapeí, São José do Barreiro e Areias.

Por Jornal Atos