Exército decide apurar participação de Pazuello em ato com Bolsonaro

O Exército decidiu nesta segunda-feira (24) abrir uma apuração disciplinar em razão da participação do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello em um ato em favor do presidente Jair Bolsonaro, neste domingo (23), no Rio de Janeiro.

Bolsonaro e motociclistas que apoiam percorreram vários bairros da cidade. Pazuello participou de tudo, subiu com Bolsonaro no carro de som, usado como palanque. O general estava sem máscara quatro dias depois de ter se desculpado, na CPI da Covid, por ter feito a mesma coisa em um shopping em Manaus.

Segundo o vice-presidente, Hamilton Mourão, general da reserva, com a abertura do procedimento, Pazuello terá 72 horas para apresentar a defesa. Diante do que for declarado, o comandante do Exército decidirá o que fazer.

General da ativa, Pazuello participa de ato com Bolsonaro apoiadores do governo, no Rio de Janeiro — Foto: Jorge Hely/Framephoto/Estadão Conteúdo
Foto: Jorge Hely/Framephoto/Estadão Conteúdo

Pazuello não só desrespeitou as medidas sanitárias impostas para conter a pandemia. Como general três estrelas, da ativa, ele infringiu o Regulamento Disciplinar do Exército, que considera transgressão:

“Manifestar-se, publicamente, o militar da ativa, sem que esteja autorizado, a respeito de assuntos de natureza político-partidária.”

O estatuto dos militares diz: “São proibidas quaisquer manifestações coletivas, tanto sobre atos de superiores quanto as de caráter reivindicatório ou político.”

Repercussão

Internamente, no meio militar, a repercussão foi imediata. Nesta segunda, o próprio vice-presidente Hamilton Mourão, general da reserva, reforçou que o estatuto proíbe esse tipo de manifestação.

“É provável que seja [punido], é uma questão interna do Exército. Ele também pode pedir transferência para reserva e aí atenuar o problema”, afirmou Mourão.

“Acho que o episódio será conduzido à luz do regulamento, isso tem sido muito claro em todos os pronunciamentos dos comandantes militares e do próprio ministro da Defesa. Eu já sei que o Pazuello já entrou em contato com o comandante informando ali, colocando a cabeça dele no cutelo, entendendo que ele cometeu um erro”, acrescentou.

O general da reserva Santos Cruz, ex-ministro da Secretaria de Governo, criticou Bolsonaro e Pazuello em uma rede social: “De soldado a general tem que ser as mesmas normas e valores. O presidente e um militar da ativa mergulharem o Exército na política é irresponsável e perigoso. Desrespeitam a instituição. Um mau exemplo, que não pode ser seguido. Péssimo para o Brasil.”

Na última quarta-feira, quatro dias antes da manifestação do presidente com motociclistas, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, um dos mais próximos de Bolsonaro, já havia falado na Câmara sobre a proibição de militares da ativa participarem de atos políticos.

“É preciso entender qual é essa participação. Os militares da reserva eles podem participar de manifestações políticas. Militares da ativa não podem. E serão devidamente punidos se aparecerem em manifestações políticas. Não tenha dúvida disso. Então isso aí é muito claro. Participar de manifestação sendo militar da reserva, pode participar de qualquer lado. É uma democracia. Pode participar de qualquer lado. Não tem restrição nenhuma a isso. Então isso aí não deve ser considerado”, afirmou.

Desde o domingo, o ministro da Defesa, Braga Netto, tem conversado com o comandante do Exército, Paulo Sergio Nogueira de Oliveira.

Militares de alta patente ouvidos pela TV Globo consideram intolerável a atitude de Pazuello e querem punição. Se valem do regimento militar para dizer que o comandante não tem saída, sob pena de prevaricar, e de perder a credibilidade perante os subordinados e a sociedade.

Nesta segunda, Pazuello foi chamado ao comando para dar explicações.

Por Delis Ortiz

We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. We also share information about your use of our site with our social media, advertising and analytics partners. View more
Cookies settings
Accept
Privacy & Cookie policy
Privacy & Cookies policy
Cookie name Active

Who we are

Our website address is: http://agazetarm.com.br.

What personal data we collect and why we collect it

Comments

When visitors leave comments on the site we collect the data shown in the comments form, and also the visitor’s IP address and browser user agent string to help spam detection.

An anonymized string created from your email address (also called a hash) may be provided to the Gravatar service to see if you are using it. The Gravatar service privacy policy is available here: https://automattic.com/privacy/. After approval of your comment, your profile picture is visible to the public in the context of your comment.

Media

If you upload images to the website, you should avoid uploading images with embedded location data (EXIF GPS) included. Visitors to the website can download and extract any location data from images on the website.

Contact forms

Cookies

If you leave a comment on our site you may opt-in to saving your name, email address and website in cookies. These are for your convenience so that you do not have to fill in your details again when you leave another comment. These cookies will last for one year.

If you visit our login page, we will set a temporary cookie to determine if your browser accepts cookies. This cookie contains no personal data and is discarded when you close your browser.

When you log in, we will also set up several cookies to save your login information and your screen display choices. Login cookies last for two days, and screen options cookies last for a year. If you select "Remember Me", your login will persist for two weeks. If you log out of your account, the login cookies will be removed.

If you edit or publish an article, an additional cookie will be saved in your browser. This cookie includes no personal data and simply indicates the post ID of the article you just edited. It expires after 1 day.

Embedded content from other websites

Articles on this site may include embedded content (e.g. videos, images, articles, etc.). Embedded content from other websites behaves in the exact same way as if the visitor has visited the other website.

These websites may collect data about you, use cookies, embed additional third-party tracking, and monitor your interaction with that embedded content, including tracking your interaction with the embedded content if you have an account and are logged in to that website.

Analytics

Who we share your data with

How long we retain your data

If you leave a comment, the comment and its metadata are retained indefinitely. This is so we can recognize and approve any follow-up comments automatically instead of holding them in a moderation queue.

For users that register on our website (if any), we also store the personal information they provide in their user profile. All users can see, edit, or delete their personal information at any time (except they cannot change their username). Website administrators can also see and edit that information.

What rights you have over your data

If you have an account on this site, or have left comments, you can request to receive an exported file of the personal data we hold about you, including any data you have provided to us. You can also request that we erase any personal data we hold about you. This does not include any data we are obliged to keep for administrative, legal, or security purposes.

Where we send your data

Visitor comments may be checked through an automated spam detection service.

Your contact information

Additional information

How we protect your data

What data breach procedures we have in place

What third parties we receive data from

What automated decision making and/or profiling we do with user data

Industry regulatory disclosure requirements

Save settings
Cookies settings